BRASÍLIA

EMPREENDEDORISMO

Comércios de Águas Claras podem fechar portas e gerar desemprego. Motivo: Alvarás e burocracia.

Publicados

EMPREENDEDORISMO

Por Silvana Scórsin Uma normativa está tirando o sono dos empresários de Águas Claras. Em janeiro de 2019, o GDF publicou a Lei Complementar N°948, de 16/01/2019 que aprova a Lei de Uso e Ocupação do Solo do Distrito Federal (LUOS). Uma das promessas da nova legislação seria a celeridade na aprovação dos alvarás, requisito básico para um funcionamento legal de uma empresa. Mas na prática, isso não vem acontecendo e causa transtornos aos empresários, que muitos pela burocracia do governo estão fechando as portas em Águas Claras e indo para outras regiões administrativas. No dia 8 de outubro, um grupo de empresários de Águas Claras se reuniu com a Subsecretaria de Articulações Institucionais do Governo do Distrito Federal para apresentar as queixas que o setor enfrenta na região administrativa. O que está em pauta é o embargo que o Buriti vem realizando desde o início do ano na liberação das licenças e alvarás de funcionamento, o que ameaça os investimentos econômicos e impede a geração de empregos. Uma das empresas penalizadas por essa cobrança estão no condomínio do Vista Shopping. Segundo o síndico, Mário Figueiredo, na nova LUOS, nos artigos 316 e 318 consta que nos lugares onde houve alteração de uso e não foi recolhida a ONALT, essa deve ser paga pelo negócio que pretender se instalar no local. O síndico Mário, explica que na LUOS anterior, do ano de 2000, definiu que a cobrança da ONALT era realizada no alvará de construção. E no caso do Vista Shopping, ele foi construído sobre área de uso institucional, mas foi vendido pela TERRACAP em 2008 com todos os usos que temos hoje. E, portanto, a cobrança da ONALT deve ser paga pela TERRACAP, responsável pela venda do terreno. Outro entendimento jurídico é que a lei posterior não pode alterar ato jurídico perfeito ocorrido sob a égide de lei anterior. Mário esclarece que desde o mês de fevereiro de 2019 mantém dialogo com a Administração Regional de Águas Claras, porém, todas as análises de viabilidade foram negadas pela Administração Regional. “Alvarás de funcionamento estão retidos e alterações contratuais que envolvam acréscimo de atividades também não são aprovadas”, comenta. Diante do embargo que ameaça o desenvolvimento econômico de Águas Claras, Mário e outros empresários se uniram para elaborar petições administrativas de maneira mais ou menos tranquila, pois o anacronismo sugeria que alguém de bom senso resolveria a questão. No mês de julho, cansados de esperar o bom senso do governo de Brasília, os empresários começaram a demandar judicialmente. Mário comenta que vários edifícios comerciais em Águas Claras se encontram na mesma situação, a estimativa é de 70% dos condomínios. Atualmente, os empreendimentos que conseguiram o alvará de funcionamento por por meio da justiça foram: DF Century Plaza e uma empresa instalada no Shopping One. “Entendemos que o administrador de Águas Claras é um dos grandes responsáveis pelo imbróglio. Não há como dividir o valor da ONALT por unidade porque a Lei não foi regulamentada. No Guará, estão concedendo viabilidades e alvarás, enquanto o regulamento não sai”, comenta Mário Figueiredo. A espera da decisão Na última reunião foi pactuado entre os participantes do GDF, integrantes da Administração de Águas Claras e empresários que a Procuradoria-Geral do DF deverá se manifestar ainda no mês de outubro, em um processo administrativo específico, se será ou não favorável à concessão da viabilidade e alvará. “A partir desse parecer, constando o que parece que constará, o administrador de Águas Claras voltará a conceder as viabilidades e alvarás com fundamento nele”, disse Mário.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  FOCO NO EMPREENDEDORISMO - Correios lança nova licitação de franqueadas para mais sete Estados
Propaganda

EMPREENDEDORISMO

FOCO NO EMPREENDEDORISMO – 5 vantagens de investir em uma franquia de alimentação

Especialista explica os benefícios em atuar através de uma franquia ao invés de começar um negócio do zero

Publicados

em

 

A compra de uma franquia elimina algumas tarefas significativas de desenvolvimento de negócios nas quais um empreendedor precisaria investir se estivesse construindo um negócio do zero. Isso oferece grandes vantagens para quem não tem muita experiência em iniciar um negócio.

O empresário Jurandir Sacchi, que atua há 30 anos no mercado de alimentação e fundou a franquia de frango atropelado Gallinacius, listou os principais benefícios de investir no modelo de franquia de alimentação:

  1. Você está comprando um plano de negócios comprovado

Ao comprar uma franquia, seja de qual segmento ou marca, você receberá um manual explicando o passo a passo sobre como conduzir cada processo necessário para administrar o negócio. Isso pode incluir tudo, desde como abrir a empresa até como lavar o chão. Este manual comprovado já resolve os problemas que você pode ter que descobrir por conta própria se iniciou um novo negócio.

  1. O custo das operações é menor do que em muitos outros negócios

Administrar uma franquia é mais barato do que administrar outros negócios. As franquias têm despesas gerais mais baixas, uma vez que os franqueados geralmente participam das operações do dia a dia, como realizando a gestão e a parte comercial.

  1. Escolher a modalidade de franquia que mais se encaixa com você
Leia Também:  FOCO NO EMPREENDEDORISMO - Balcão Único simplifica a abertura de empresas em mais 11 estados do país

O que muitas pessoas não sabem é que uma rede de franquias pode ter diversas modalidades disponíveis, como: loja física, dark kitchen (modo apenas de delivery), food truck, quiosque, container, etc. Assim o franqueado tem a oportunidade de escolher o modelo que mais tem a ver com o que ele está procurando, em relação a objetivos, estratégias e orçamento.

  1. Muito do marketing é feito para você

Como franqueado, você se beneficia do reconhecimento do nome que vem com o licenciamento de uma marca regional, nacional ou internacional. Alguns franqueadores fornecem fundos adicionais para atividades de marketing ou materiais de marketing.

  1. Sua cadeia de suprimentos e sistemas de suporte são construídos

Seu franqueador já fez o trabalho árduo de identificar fornecedores e prestadores de serviços confiáveis ​​e econômicos que fazem o seu negócio funcionar.

“Os franqueadores enxergam os franqueados como grandes parceiros e se preocupam com eles tanto quanto com seus próprios negócios. Muitos clientes vão conhecer a marca por meio de uma unidade franqueada, então há uma grande preocupação em treinar aquele empreendedor para fornecer o melhor produto e atendimento possível, afinal, o franqueado é uma extensão da marca em cada região”, finalizou Jurandir, da franquia Gallinacius.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA