BRASÍLIA

EMPREENDEDORISMO

FOCO ECONOMIA -Conab prevê produção de grãos em 254 milhões de toneladas impactada por clima adverso

Publicados

EMPREENDEDORISMO

Foto: CNA-MT Postado por Silvana Scórsin As condições climáticas registradas durante o ano safra 2020/2021 impactaram as lavouras e a nova estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a produção brasileira de grãos no período é de 254 milhões de toneladas, volume menor que a safra anterior em 1,2%. Apesar de ter havido aumento de área plantada em mais de 4%, a redução se deve, principalmente, à queda das produtividades estimadas nas culturas de segunda safra, justificada pelos danos causados pela seca prolongada nas principais regiões produtoras, bem como às baixas temperaturas com eventos de geadas ocorridas nos estados da Região Centro-Sul do país. Os dados estão no 11º Levantamento da Safra de Grãos 2020/2021, divulgado pela Companhia nesta terça-feira (10). Entre as culturas mais afetadas destaca-se o milho. A produção total deve chegar a 86,7 milhões de toneladas, sendo 24,9 milhões de toneladas na primeira safra, 60,3 milhões de toneladas na segunda e 1,4 milhão de toneladas na terceira safra. Apenas para a segunda safra do cereal, a queda na produtividade estimada é de 25,7%, uma previsão de 4.065 quilos por hectare. A redução só não foi maior porque os altos preços do grão impulsionaram um aumento de área plantada em 8,1%, chegando a 14,87 milhões de hectares. Além disso, Mato Grosso, principal estado produtor, foi o que menos registrou condições climáticas adversas durante o cultivo do cereal. Com a colheita encerrada, a soja apresenta uma elevação de 11,1 milhões de toneladas na produção desta safra. Desta forma, o Brasil se mantém como maior produtor mundial da oleaginosa com uma colheita recorde de 135,9 milhões de toneladas. Para o arroz, a produção neste ciclo teve crescimento de 5% em relação ao período anterior, chegando a 11,74 milhões de toneladas. Já em relação ao feijão, as atenções se voltam para a cultura de terceira safra, que está em fase inicial de colheita. A produção total é estimada em 2,94 milhões de toneladas, 8,8% menor que o obtido na safra 2019/2020, impactada pela seca nas principais regiões produtoras do país. Dentre as culturas de inverno, destaque para o trigo. Na atual safra a expectativa é que a produção seja de 8,6 milhões de toneladas, um novo recorde para o país caso confirmada a estimativa. Com o plantio já encerrado, o grão apresenta um expressivo crescimento na área de 15,1%, situando-se em 2,7 milhões de hectares. Os preços elevados no mercado internacional nos últimos anos incentivaram a maior procura pelos produtores. Aliado à valorização externa, o alto custo do milho no cenário nacional também incentivou o cultivo do trigo, por ser um possível substituto para ração animal. Caso a estimativa de colheita seja confirmada, esta será a maior produção já registrada no país. No entanto, as condições climáticas das lavouras podem influenciar nos resultados. As consequências das geadas registradas nas principais regiões produtoras nas últimas semanas ainda serão quantificadas pela Conab. Panorama de mercado – No âmbito do mercado externo, o algodão em pluma segue com cenário positivo no mercado internacional. Neste levantamento, a Companhia elevou a previsão do volume exportado da fibra na safra 2020/2021 em 4,69%, em relação à estimativa anterior. Por outro lado, foram reduzidas as previsões do volume exportado de milho e de soja. Para a oleaginosa, mesmo com o aumento da produção, foi observado ao longo do ano baixo percentual comercializado até o momento. Com isso, as exportações anteriormente estimadas em 86,69 milhões de toneladas passaram para 83,42 milhões de toneladas. No caso do cereal, a partir dos efeitos do clima na produção e da reversão do destino de contratos de exportação para o mercado doméstico, a expectativa é de queda nas exportações em 20%, o que corresponde a 23,5 milhões de toneladas ao final da safra. Por outro lado, a projeção de importação manteve-se inalterada em 2,3 milhões de toneladas. Quanto ao trigo, para esta nova safra a Conab espera aumento de produção aliado ao incremento do consumo interno em 3,74%. O cenário é favorável, de modo que os estoques de passagem estarão em nível mais confortável. A previsão é que fechem o ano em 1.793,9 mil toneladas, volume próximo ao observado em safras anteriores a 2019/2020. Outras informações sobre a produção de grãos no país estão disponíveis na íntegra do Boletim do 11º Levantamento – Safra 2020/21. Fonte: Assessoria Conab

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Foco no turismo! MTur avalia criação de rede colaborativa com especialistas em gastronomia
Propaganda

EMPREENDEDORISMO

FOCO OS NEGÓCIOS – Empreendedores apostam no marketing digital para aumentar vendas

Na pandemia novos negócios nasceram no digital e empresas físicas tiveram que se adaptar ao formato

Publicados

em

A transformação digital fez parte de 87,5% das empresas brasileiras, em 2020, segundo levantamento do Índice de Transformação Digital Dell Technologies. O olhar mais intensificado das empresas para o universo digital já era algo esperado para os próximos anos. Com a pandemia, no entanto, o movimento foi acelerado, resultando em um boom tanto de novos negócios nascidos no digital, quanto de empresas físicas que tiveram que se adaptar ao formato.

A pesquisa “Panorama de Negócios Digitais Brasil” apontou que 54% dos empreendedores digitais começaram a empreender durante a pandemia. Criada um pouco menos antes desse período, a marca de moda praia Lia Presenti, da estilista baiana de mesmo nome, foi uma das empresas que tiveram que superar o desafio imposto pelo isolamento social. Vendendo suas peças exclusivamente pela internet, a aposta de Lia foi se concentrar no perfil da loja no Instagram, o @liapresentioficial.

“Criei minha vitrine no Instagram e fui anunciando meus produtos. O empreendimento se popularizou e hoje já somos mais de 94 mil seguidores que ajudam a fortalecer nossa marca e levá-la para vários cantos do mundo. O trabalho é constante, mas confio na nossa qualidade e na equipe que trabalha comigo, isso também é essencial para nosso progresso. Com certeza 2022 promete”, conta a estilista que já vestiu celebridades e teve peças vendidas até nos Estados Unidos e Itália.

Gerenciar bem para ter retorno em lucros

Seja digital ou totalmente físico. No fim, o que importa mesmo é que todo empreendimento seja bem gerenciado para oferecer lucros. “O empreendedor precisa conhecer seu negócio, entender quem é o público-alvo para adotar medidas assertivas e realizar um gerenciamento financeiro. Um empreendimento, seja virtual ou físico, deve ter um planejamento orçamentário”, destaca Gildenor Leite, administrador e coordenador do curso de Administração da Faculdade Pitágoras Maceió.

Leia Também:  Comércios de Águas Claras podem fechar portas e gerar desemprego. Motivo: Alvarás e burocracia.

 

Gildenor ainda ressalta que principal diferença é que em uma loja virtual o seu investimento de captação acaba ficando por conta das ferramentas de anúncios em buscadores e nas redes sociais. Neste caso é necessário ter inteligência na hora do investimento. O profissional lista (confira abaixo) as principais dicas para quem quer administrar um negócio digital.

Entenda do mercado digital

Vender em loja física é muito diferente. Por isso, saiba o preço do seu produto para te gerar lucro. Lembre-se que a venda na internet exige outros cuidados como: custo da hospedagem do site, taxa cobrada pelo meio de pagamento que vai escolher, prazo para o dinheiro entrar na sua conta, custo da transportadora, entre outros.  Não é que vender on-line seja mais caro. São custos e dinâmicas diferentes que devem ser avaliadas na hora de estipular o preço adequado.

A fachada da sua loja virtual

Lembre-se que o site é a sua loja. Não gaste dinheiro com desenhos ou recursos mirabolantes. Faça algo simples, seguro e que mostre logo de cara aquilo que você tem a oferecer. Um bom site é aquele que vende.

Quem é o seu cliente?

A internet nos permite conhecer o consumidor de forma mais prática. Outra forma de entender melhor o seu consumidor é verificar o que a concorrência está oferecendo, isso ajuda a conhecer os hábitos de compra. Não faça panfletagem por WhatsApp ou nas redes sociais. Ofereça produtos pontuais para aquele cliente que você conhece. Saiba se ele é casado, se tem filhos, mora sozinho, dentre outros detalhes sobre o seu consumidor. Quando você dispara mensagens promocionais aleatórias, elas podem cair na pessoa errada. Ou seja, um potencial cliente a menos.

Leia Também:  Foco no turismo! MTur avalia criação de rede colaborativa com especialistas em gastronomia

Logística e estoque no e-commerce

Já que o consumidor não vai até sua loja pegar o produto é importante ficar atento sobre os seus processos de logística. Vai usar os correios? Vai optar por uma empresa terceira? Irá atender todo o território nacional? Segundo uma pesquisa realizada pelo Sebrae sobre as principais dificuldades de gestão de um e-commerce, a logística foi apontada como o segundo maior obstáculo encontrado na administração do comércio virtual. A carga tributária ficou em primeiro lugar.

Dicas de plataformas de negócios

Existem sites que estão prontos para anunciar e vender o seu produto. Eles são chamados de marketplaces. A maioria deles é gratuita. Neles é possível criar a descrição de um produto, colocar fotos e fazer negociações. Não esqueça de olhar se há taxas cobradas na hora da venda.

Planilha de custos

Um dos maiores erros de empreendedores iniciantes é misturar o orçamento pessoal com o de seu negócio. Tirar dinheiro do caixa da empresa para cobrir gastos pessoais pode parecer normal, mas pode ser fatal. Para não cometer esse erro, estipule uma remuneração baseada não apenas no que você precisa para viver, mas também na saúde do seu negócio. Por isso, controlar a planilha de custo é algo crucial para o sucesso da empresa e da sua qualidade de vida.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA