BRASÍLIA

Educação

FOCO NA EDUCAÇÃO – Mulheres na Engenharia correspondem a 15% dos profissionais da área

Elas lutam por maior visibilidade, inclusão, igualdade de tratamento e oportunidades

Publicados

FOCO NA EDUCAÇÃO

Anualmente, o dia 23 de junho é reservado para celebrar o Dia Internacional das Mulheres na Engenharia. A data, criada pela organização Women’s Engineering Society (WES) do Reino Unido, tem como objetivo fortalecer o espaço que as engenheiras vêm ganhando na profissão, antes majoritariamente ocupada por homens.

Embora o papel das mulheres na sociedade seja extremamente importante, os preconceitos que ainda enfrentam quando se trata de assumir responsabilidades e cargos de confiança ainda são ensurdecedores.

  • A luta por maior visibilidade, inclusão, igualdade de tratamento e oportunidades de formação profissional continua no topo da agenda das mulheres engenheiras. O maior desafio hoje é quebrar o preconceito contra seu envolvimento em canteiros de obras e em cargos de liderança. Nanci Walter, Engenheira Ambiental e Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do Rio Grande do Sul, considera que estar neste cargo é uma conquista mas, acima de tudo, é um ato representativo.

“Numa profissão onde a presença dos homens é predominante, ser mulher é um desafio diário. Ser a primeira mulher a presidir um conselho regional é ainda maior. Então eu entendo a minha responsabilidade ao ocupar este cargo, que há 87 anos vem sido gerido apenas por homens. Então ter esse dia para simbolizar e lembrar que sim, as mulheres podem exercer a profissão que quiserem e que, assim como os homens, contribuem para a construção do nosso país, é válida e extremamente pertinente”, pontua.

Leia Também:  FOCO NA EDUCAÇÃO - Projeto oferece cursos gratuitos para mulheres empreendedoras

Tradicionalmente ocupada por homens, a área da engenharia vem, ao longo dos anos, ganhando cada vez mais adeptas. De acordo com uma recente pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura (Confea), o percentual de mulheres registradas como engenheiras no Brasil corresponde a 19,3% (199.786 mulheres engenheiras) do total de 1.035.103, no país.

Mas apesar do dado significativo no cenário total, a participação feminina entre os profissionais ativos na área é de apenas 15%. A posição de mulheres na área de conhecimento e no campo de trabalho da Engenharia permanece especial e excepcional e, aos poucos, rompe o padrão de gênero presente na profissão.

Então, falar sobre igualdade de gênero, equidade salarial e a indiferença na engenharia continua sendo um tópico de preocupação. Sendo assim, ampliar e fortalecer o espaço das mulheres na profissão é uma grande missão, tanto em outros países quanto no Brasil.

Para a presidente do CREA/RS, o passo fundamental para um caminho bem sucedido na área é, acima de tudo, jamais abandonar o sonho. “Desistir não está no vocabulário de quem escolhe a engenharia. Todos os dias é um novo desafio e quem escolhe essa carreira vai encontrar alegria na profissão. É preciso ouvir essa nova geração para aprender e entender como as coisas funcionam e, assim evoluir, pois, a nova geração não vai ser o amanhã, ela já é o hoje”, declara Nanci.

Leia Também:  FOCO NA TECNOLOGIA - Brasília no páreo para sediar o maior evento de tecnologia do planeta

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

FOCO NA EDUCAÇÃO

FOCO NA EDUCAÇÃO -Dia do Estudante: confira principais áreas para quem pretende cursar Direito

Nesta quinta-feira, 11, também é comemorado o Dia do Advogado

Publicados

em

A educação abre portas e é uma excelente ferramenta de transformação na vida das pessoas, tanto que ter um diploma aumenta as possibilidades profissionais. “Além de alavancar o crescimento pessoal do estudante, uma pessoa com nível superior tem as ferramentas para se destacar no mercado de trabalho e almejar as vagas mais disputadas. Tudo isso atrelado a uma educação de qualidade e experiências adquiridas ao longo da formação, seja nas salas de aula, seja nos ambientes de prática ou de estágio”, avalia Tattiana Tessye, diretora da Faculdade Pitágoras.

 

O Dia do Estudante, comemorado nesta quinta-feira, 11, é uma das datas mais importantes do Ensino Superior, pois reconhece e celebra a dedicação e a motivação dos futuros profissionais, que são a representação de um mercado de trabalho cada vez mais qualificado. “Quem se propõe a estudar, realmente entende que esta é a melhor trajetória para alcançar objetivos, sendo a estratégia mais eficaz para combater as desigualdades e conquistar melhores condições de vida”, completa Tattiana.

 

Entre as diferentes profissões, uma especial celebra o seu dia nesta quinta: os advogados. O Dia do Advogado foi instituído para celebrar a criação do primeiro curso de Direito do Brasil, na Faculdade de Direito de São Paulo, inaugurada em primeiro de março de 1828. Há, também, quem comemore em dobro, em 19 de maio, dia da morte de Santo Ivo, padroeiro dos advogados.

 

Esses profissionais atuam em diversos ramos, dentre os mais conhecidos estão civil, criminal e familiar. Devido à importância do seu trabalho, a classe tem o dia 11 de agosto como o Dia do Advogado. Atualmente, segundo a Ordem de Advogados do Brasil (OAB), há 657.615 e 636.496 profissionais da advocacia de cada gênero, respectivamente. Em relação à faixa etária, ainda de acordo com a OAB, a maioria (595.452) está na faixa de 26 a 40 anos, 465.398 têm entre 41 e 59 anos, 235.576 têm 60 anos ou mais, e em menor quantidade estão os advogados com idades de até 25 anos.

Leia Também:  Como está o seu score profissional?

 

Carreira de advogado no Brasil

A área jurídica é versátil e, por isso, possibilita diversos campos de atuação, incluindo ingresso nas esferas federal, estadual e municipal. Os advogados também podem exercer atividades na assistência jurídica empresarial e carreiras públicas.

 

Em comum a outras profissões, o profissional formado em Direito também pode seguir a área acadêmica apostando na docência, para lecionar na graduação e pós-graduação. Para isso, é necessária a continuidade da formação por meio de especializações, mestrado, doutorado e pós-doutorado.

 

“Os estudantes têm buscado áreas de formação com diversas opções para ingressar no mercado de trabalho. O Direito é exatamente um curso que proporciona esta rapidez, sendo o sonho de muitos jovens”, diz o advogado Osmundo Nogueira, coordenador do curso de Direito da Anhanguera.

 

Para Nogueira, o Direito permite uma imersão profunda em diversas áreas do conhecimento e “ser advogado é apenas uma das opções para os bacharéis em Direito, apesar de uma das mais profissões mais associadas à graduação”, explica.

 

Áreas do Direito

 

O advogado Osmundo Nogueira cita as principais carreiras que podem ser seguidas por quem é bacharel em Direito, confira:

 

– Advogado da União: o procurador da Fazenda nacional é um advogado que atua em questões da União Federal. Assim como outros procuradores, também presta assistência jurídica e consultoria para outros órgãos do poder Executivo. A função consiste em submeter as iniciativas dos poderes aos critérios previstos em lei.

–  Conciliador: o conciliador trabalha no Fórum e faz a intermediação entre partes, tentando evitar que a situação avance para um processo cível. Durante o diálogo, os envolvidos nos conflitos apresentam os problemas, prejuízos e todo o contexto que levou ao desgaste da relação, em diversas esferas. O conciliador, portanto, é um representante do Estado com a função de gerenciar o problema e propor soluções satisfatórias a todos, quando possível.

Leia Também:  FOCO NA EDUCAÇÃO - UEMA disponibiliza cursos gratuitos na área da educação 

– Defensor público: assemelha-se a um cargo de advogado autônomo, mas atua para atender famílias hipossuficientes. O defensor é um agente público, contratado pelo Estado através de concurso, tendo a finalidade de defender causas nas diversas áreas jurídicas para quem não pode contratar um advogado particular.

– Delegado de polícia: o delegado é o agente responsável pelas investigações judiciais, denúncias criminosas, combate de ilegalidades e comanda ações de tropas policiais. Para ingressar na profissão, o interessado deverá ser bacharel em Direito e aprovado em concurso público.

– Diplomata: para alcançar este cargo é preciso fazer um concurso específico para o cargo. O trabalho consiste em realizar atividades de defesa do país, reuniões de negócios, estratégias de comunicação e apresentações internacionais em prol da nação para a qual exerce a função.

– Juiz: seja pela remuneração, credibilidade da profissão ou ascensão social, esta é uma das carreiras mais almejadas. Para ser um juiz, o bacharel precisa realizar um concorrido concurso público específico para o cargo, apresentar os títulos e experiências adquiridas e comprovar, no mínimo, três anos de trabalho como advogado.

– Promotor de Justiça: o promotor de justiça atuará defendendo a ordem jurídica, dos interesses sociais e do regime democrático. A atuação é destinada a diferentes áreas jurídicas, ou seja, é importante possuir interesse e domínio das temáticas do Direito Penal, Processo Penal e Direito Civil e Processo Civil, entre outras.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA