BRASÍLIA

FOCO NA EDUCAÇÃO

FOCO NA EDUCAÇÃO! Projeto facilita acesso a livros através de comunidade literária

Publicados

FOCO NA EDUCAÇÃO

Postado por Silvana Scórsin Foto: Maria Laura/acervo pessoal O perfil “Historinhas pra Contar” motiva o desejo de compartilhar histórias inéditas com outros pais O ato de contar histórias para as crianças dormirem é antigo e tem famílias que sustentam essa tradição até os dias de hoje. Além de despertar a curiosidade das crianças, gera memórias afetivas. Em uma época em que o livro é substituído pelo celular, tornar esse ato rotina é importante e, também, um desafio. É preciso usar a criatividade para sair da mesmice das histórias que todo mundo conhece. E foi isso que o engenheiro Rodrigo Vaz fez. Certa noite, Vaz precisou ser criativo ao colocar a filha para dormir. A pequena, de 6 anos, pediu uma nova historinha, pois estava cansada de todos os livros da estante. Nessa hora, o engenheiro deu asas à imaginação e, ao ver a pequena dormir, despertou para um projeto que poderia fazer a magia da leitura chegar a muitos lares. Junto com sua esposa, a turismóloga Vivian, criou um perfil no Instagram chamado “Historinhas pra Contar” motivado pelo simples desejo de compartilhar histórias inéditas com outros pais. Em apenas dois meses, o perfil já somava 10 mil seguidores. “Tomamos um susto com a repercussão. O projeto começou de forma despretensiosa. Da inquietude encontramos um propósito de poder Foto: Vivian e Rodrigo Vaz Idealizadores @historinhasparacontar entregar mais para outras famílias”, conta Vaz. No início, as histórias e ilustrações eram produzidas de forma artesanal, com soluções caseiras. Aos poucos, escritores e ilustradores foram se somando ao projeto e percebendo que, não só doavam seus talentos, como ganhavam visibilidade e novas oportunidades. “Como o conteúdo é gratuito e de acesso universal, o projeto acabou se tornando uma grande vitrine”, celebra o idealizador. Diante de algo que se revelava tão grandioso – no propósito e nos likes – o casal logo percebeu que precisava fazer um outro dever de casa: estudar o mercado editorial brasileiro. O desafio? Formatar um modelo de negócio diferente, bom para todo mundo. A intenção era beneficiar, não só os leitores que são presenteados com novas historinhas curtas semanais no Instagram, mas também escritores e ilustradores, especialmente os que esbarram na dificuldade de publicar seu livro de estreia. “O mercado editorial é desequilibrado, não há incentivo ou facilidade para que as pessoas talentosas possam viver da sua arte, seja em texto ou ilustrações”, avalia Vaz. A fisioterapeuta Luarca Santos é seguidora assídua do @historinhaspracontar e sempre teve o hábito de cantar e ler para a filha, desde o berço “Minha filha sempre gostou de livros. Mesmo quando Maria Laura ainda não sabia ler, ficava encantada com as figuras. Por isso, sempre comprava livros nas feiras literárias, onde o preço é mais em conta. Livro não é nada barato”, pontua Foto: Maria Laura/acervo pessoal Luarca que passou a consumir com frequência as histórias disponibilizadas gratuitamente através do Instagram. Com o lançamento da editora digital no ano passado, a Historinhas pra Contar passou a publicar também livros impressos. Entre publicações físicas e digitais, mais de 140 obras já foram lançadas no mercado, todas com o diferencial de ampliar o acesso à leitura de forma gratuita, fomentar a produção de novos títulos e gerar renda para escritores, ilustradores e todos os outros atores envolvidos no processo. “Viabilizamos publicações com valores mais acessíveis. Queremos que nossa receita cresça pelo volume e não pela margem de lucro”. A escritora Rita Queiroz está lançando a segunda obra pela editora Historinhas pra Contar. Em versão trilíngue, o livro “Grimalda, a Lagartixa Empoderada” será apresentado ao público hoje, 18, às 13h (horário de Brasília), no Primeiro Salão Internacional do Livro e da Cultura de Genebra, no canal do YouTube do Institut Cultive Brésil Suisse. “Gostei muito da qualidade, material, impressão e do atendimento humano que eles dão. Estou pretendendo publicar outro no segundo semestre”, anuncia a autora. O trabalho que a editora vem fazendo para fomentar a leitura é visto como crucial pela autora baiana. Não só os livros impressos são mais baratos, como há a possibilidade Foto: Rita Queiroz /por Rita Queiroz de disponibilizar as obras literárias em e-books, com valores ainda mais atrativos. “Tenho livros infantis disponíveis na Amazon que foram comprados por amigos que moram na Inglaterra. Imagina a logística e a despesa de enviar um livro físico pelos Correios? O E-book é mais barato, prático. A obra fica disponível imediatamente no celular ou outros dispositivos de leitura”, destaca Queiroz. Seja através de livros físicos, e-books ou de mini historinhas gratuitas disponíveis no Instagram, o objetivo é sempre o mesmo: levar ludicidade das histórias infantis para um número cada vez maior de leitores. E, por que não, incentivar pequenos leitores a se tornar também escritores? A pequena Maria Laura participou de um concurso literário e já teve a primeira história assinada por ela – O Sapo que não comia mosca – aprovada. Aos 6 anos, a filha de Luarca já tem pretensões maiores. “Quero muito ser autora para mais crianças saberem ler, escrever e ficarem muito sabidas”. É por acreditar nesse poder transformador da leitura, que o projeto Historinhas pra contar, segue escrevendo novas páginas pautas pela inclusão. Através de financiamento coletivo, mais de mil kits de livros infantis já foram distribuídos para crianças matriculadas na rede pública de ensino. Quem tem o desejo de abraçar o projeto pode fazer doações, a partir de R$ 10, no site www.historinhaspracontar.com.br ou contribuir através de deduções no Imposto de Renda. Pessoas físicas que recebem restituições podem ajudar em até 6% valor pago de imposto. Já as empresas, podem deduzir no máximo 4%, desde que sejam tributadas em lucro real. Fonte: Agência Educa Mais Brasil

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Foco nos Estudos! Brasileiros ganham oportunidade de intercâmbio na Holanda com bolsa de estudos
Propaganda

FOCO NA EDUCAÇÃO

FOCO NA EDUCAÇÃO – Enem 2022: confira dicas de aplicativos e sites gratuitos para se preparar

As inscrições para o exame terminam no próximo sábado, dia 21

Publicados

em

 

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terminam no próximo sábado, dia 21. As provas serão aplicadas em dois domingos de novembro, dias 13 e 20. Até lá, são seis meses para se preparar e mandar bem na prova. Nesse sentido, a internet pode ser uma boa aliada para complementar os estudos.

Para impulsionar o desempenho no Enem 2022, existem diversos meios, como videoaulas, disponíveis em canais no Youtube e aplicativos gratuitos com o objetivo de facilitar a forma de estudar, em qualquer lugar e a qualquer hora. Confira, abaixo, algumas dicas.

Guia Enem

Lançado pelo Educa Mais Brasil, o Guia Enem reúne materiais gratuitos de diversas disciplinas cobradas no Enem e em outros vestibulares. No site são disponibilizados artigos com resumos das principais áreas de conhecimento do exame. Para cada disciplina, há diferentes textos focados nas informações mais relevantes.

Além disso, o Educa tem outro projeto para quem prefere estudar com auxílio de vídeos. Em uma playlist no canal do YouTube, são disponibilizadas gratuitamente videoaulas preparadas por professores das áreas de diversas áreas do conhecimento. As aulas são curtas, mas bem objetivas, com conteúdos das áreas de História, Gramática, Literatura, Interpretação Textual, Redação, Química, Língua Portuguesa, Matemática, Física e muito mais.

Leia Também:  FOCO NA EDUCAÇÃO- 2 edição do concurso literário infantil Dia da Criança Autora recebe inscrições

Confira uma lista com playlists para estudar no YouTube:

  • Física Total, com o professor Ivys Urquiza
  • Redação e Gramática Zica, com o professor Pamba
  • Enem por Mateus Prado
  • Oficina do Estudante
  • Vestibulandia, com o professor Nerckie
  • Biologia Total, com o professor Paulo Jubilut
  • YouTube Edu, parceria do Google e a Fundação Lemann

Quer mais opções de canais e aplicativos gratuitos para estudar para o exame? Confere a lista.

Redação Nota 1000

Esse aplicativo é focado na redação do Enem. Ele exibe temas de redações anteriores do exame, produções textuais de estudantes que conquistaram nota mil, instruções em um passo a passo para a elaboração do seu texto, possíveis temas para as próximas provas do Enem, competências avaliadas durante a correção, citações que podem ser utilizadas, erros comuns, correções comentadas, entre outras ferramentas.

RevisApp

Esse aplicativo divide as matérias em quatro categorias: Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática e, dentro de cada uma delas, exibe os assuntos que mais costumam aparecer no Enem. O app oferece resumos práticos, o que é uma boa opção para quem já estudou o conteúdo e quer revisar a matéria. Por isso, a melhor opção é utilizá-lo em conjunto com outros aplicativos dessa lista.

Leia Também:  Foco na educação! Inscrições para a Olimpíada de Matemática da Unicamp vão até sexta (09)

Easy Study

O Easy Study é um aplicativo que irá te ajudar a criar uma rotina perfeita de estudos. O app oferece a possibilidade de informar quais matérias o estudante deseja estudar mais com a opção de criar um planejamento com os assuntos que deseja se dedicar em cada dia. Isso ajuda a otimizar o tempo e facilita a organização dos conteúdos.  É possível também ter acesso ao histórico de estudos para analisar as horas e materiais já revisados.

Questões ENEM

É um aplicativo bem prático, que exibe na página inicial as matérias divididas por seis categorias: Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática, Linguagens e Códigos, Inglês e Espanhol. O estudante tem acesso gratuito a simulados, videoaulas, resumos de todos os assuntos e muito mais. Para incentivar a preparação para o Enem, o aluno recebe medalhas a cada número de questões respondidas, resumos lidos e aulas assistidas.

Estuda.com ENEM e Vestibular

Nesse aplicativo, o estudante conta com quatro modalidades diferentes: simulados, desafios, questões e provas do Enem das edições anteriores. O app também permite o acesso gratuito a videoaulas, temas de redação, resumos de conteúdos e simulador de aprovação do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), tudo isso na seção “Material Extra”.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA