BRASÍLIA

FOCO NAS NOTÍCIAS

Fungos e bactérias: unhas longas podem causar graves infecções

Publicados

FOCO NAS NOTÍCIAS


source
Celebridades como Cardi B e Anitta vêm utilizando unhas longas
Reprodução

Celebridades como Cardi B e Anitta vêm utilizando unhas longas


Unhas grandes podem abrigar até 32 espécies de bactérias e 28 tipos de fungos, mostram estudos recentes. Nos últimos anos, muitas mulheres aderiram à moda das unhas longas. Celebridades como Beyoncé, Lady Gaga, Cardi B, Anitta, Iza e Glória Groove, por exemplo, ostentam longuíssimas unhas. Mas, é preciso saber que este estilo pode virar algo perigoso para a saúde.

É possível encontrar bactérias e fungos nas unhas de todas as pessoas, sejam elas grandes ou pequenas. No entanto, estudos recentes descobriram Staphylococcus aureus resistentes a antibióticos e que podem causar graves infecções apenas em amostras coletadas em unhas grandes. Os micro-organismos ficam escondidos na parte interna da unha, próxima a área da pele.

Isso significa que ter unhas grandes, sejam elas naturais, postiças ou de acrigel, aumenta o risco de se contaminar com fungos e bactérias. Isso porque os micro-organismos podem entrar no seu corpo ao coçar alguma parte da pele, ao roer as unhas ou ao levar as mãos à boca.

Leia Também:  Covid: mulher 'bate recorde' com duas infecções em 20 dias

Além disso, o acúmulo de bactérias e fungos podem gerar uma micose na unha e deixá-la deformada.

Leia Também


Por conta do risco de contaminação sob as unhas, que profissionais de saúde precisam mantê-las curtas. Entre 1997 e 1998, a morte de 16 bebês internados na UTI de um hospital na cidade de Oklahoma, nos EUA, foram associadas a bactérias encontradas sob as unhas longas de duas enfermeiras.

Por uma questão de saúde, a recomendação é não ter unhas grandes.

Os Centros de Controle de Doenças (CDC) dos EUA têm algumas orientações sobre como evitar contaminações causadas por bactérias que se alojam sob as unhas:

– Mantenha as unhas curtas; – Ao lavar as mãos, esfregue o sabão na parte de baixo das unhas; – Evite roer unhas; – Limpe todos os utensílios antes de usá-los nas unhas; – Evite cortar ou retirar a cutícula, pois ela é uma barreira contra infecções nas unhas; – Nunca arranque com os dentes as peles que ficam ao redor das unhas, remova cuidadosamente com um alicate; – Ao fazer a unha em um salão ou com um manicure, certifique-se de que os equipamentos foram esterilizados antes do uso.

Leia Também:  Pfizer faz recall de remédio por presença de substância cancerígena
Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

FOCO NAS NOTÍCIAS

Brasil tem 12,6 mil novas infecções por covid-19 em 24h

Publicados

em

Por

source
O governo federal empenhou quase R$ 34,3 bilhões para a compra de cerca de 650 milhões de imunizantes
James Gallagher – Reporter de ciência de saúde

O governo federal empenhou quase R$ 34,3 bilhões para a compra de cerca de 650 milhões de imunizantes

O Brasil registrou 12.613 novos casos de covid-19 em 24 horas em todo o país. De acordo com as secretarias estaduais e municipais, foram confirmadas 99 mortes por complicações associadas à doença. Os dados estão na atualização do Ministério da Saúde divulgada neste domingo.

Com os novos dados, o total infecções pelo novo coronavírus durante a pandemia chegou a 30.791.220. O número de casos de covid-19 em acompanhamento está em 293.574.

Com os números de hoje, o total de mortes chegou a 665.627. Ainda há 3.212 mortes em investigação. As ocorrências envolvem casos em que o paciente faleceu, mas a investigação sobre a causa, se foi covid-19, ou não, ainda demanda exames e procedimentos complementares.

Leia Também:  Fim de semana terá Lua de Sangue "triplamente especial"

Até agora, 29.832.019 pessoas se recuperaram da covid-19, o que corresponde a 96,9% dos infectados desde o início da pandemia.

Pesquisa inédita no Brasil busca novas variantes da covid-19 no país
Reprodução: BBC News Brasil

Pesquisa inédita no Brasil busca novas variantes da covid-19 no país

De acordo com o boletim, o Distrito Federal e sete estados não atualizaram os dados neste domingo: Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Roraima e Tocantins.

Neste domingo, chegou ao fim o estado de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin), decretado em função da pandemia de covid-19.

A portaria com a decisão foi assinada pelo ministro da Saúde , Marcelo Queiroga, em 22 de abril, e previa 30 dias para que estados e municípios se adequassem à nova realidade.

A decisão do governo brasileiro foi tomada com base do cenário epidemiológico mais arrefecido e o avanço da Campanha de Vacinação no país. Segundo o Ministério da Saúde , apesar da medida, nenhuma política pública de saúde será interrompida.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA