BRASÍLIA

FOCO NAS NOTÍCIAS

Saúde prepara MP para farmacêuticas divulgarem benefícios a médicos

Publicados

FOCO NAS NOTÍCIAS


source
Medida pretende dar transparência a pagamentos de farmacêuticas a médicos e pessoas com cargos públicos
Pixabay

Medida pretende dar transparência a pagamentos de farmacêuticas a médicos e pessoas com cargos públicos

O Ministério da Saúde prepara uma Medida Provisória para dar mais transparência à relação de médicos com empresas farmacêuticas. A minuta do texto já está pronta, mas ainda passará pela avaliação do Planalto e pode sofrer alterações.

A redação da medida determina que as empresas divulguem qualquer pagamento ou benefício dado a médicos, associações de pacientes, pessoas expostas politicamente e estabelecimentos de saúde.

A minuta da MP estabelece que as farmacêuticas sejam obrigadas a publicar essas informações em seus sites e no Portal da Transparência, ou em site disponibilizado pela Controladoria-Geral da União (CGU), que deverá fiscalizar o cumprimento da regra. A edição da MP foi revelada pelo jornal “Folha de S. Paulo” e confirmada pelo GLOBO.

O texto proíbe empresas de darem benefícios com a condição de que seus medicamentos sejam prescritos ou indicados a pacientes, ou mediante influência na compra de determinado produto. A fiscalização relacionada a esse aspecto será feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Ficam os fabricantes, fornecedores, importadores, distribuidores e vendedores de medicamentos,órteses, próteses, materiais especiais e equipamentos hospitalares obrigados a divulgar informações sobre pagamentos e quaisquer benefícios concedidos, diretamente ou por terceiros a médicos, associações de pacientes, colaboradores vinculados aos laboratórios públicos que possuem parcerias de desenvolvimento produtivo, pessoas expostas politicamente e estabelecimentos de saúde públicos e privados, com ou sem fins lucrativos”, diz a minuta da MP.

Leia Também:  'Queria morrer por seis horas', diz homem que ingeriu bactéria

O texto define como “pessoas expostas publicamente” aquelas que tenham ocupado funções públicas nos últimos cinco anos, como ministros, membros do Poder Judiciário, do Ministério Público, do Tribunal de Contas da União (TCU); governadores e secretários; deputados; membros do Conselho Nacional de Saúde (CNS), do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS), do Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS); e membros de comissões que tenham impacto na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) ou na saúde de pacientes.

Leia Também

Entre os benefícios definidos pela MP estão pagamentos, doações, financiamento de hospedagem e alimentação, cursos, congressos, entre outros. A minuta foi construída pela Diretoria de Integridade do Ministério da Saúde.

Multas e sanções Caso haja descumprimento da regra, a MP determina sanções que vão desde multa a rescisão do vínculo da empresa com o poder público. A farmacêutica poderá ainda ser impedida de realizar contratos com a administração pública por até dois anos e receber uma declaração de inidoneidade.

Leia Também:  Polícia Civil do Rio supera PM em média de mortes nas operações letais

As multas arrecadadas com o descumprimento da medida serão destinadas ao Fundo Nacional de Saúde (FNS) para serem usadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“A transparência dos benefícios de que trata esta Medida Provisória é de interesse público e social e constitui direito de todo paciente consumidor o acesso às informações sobre as relações financeiras estabelecidas entre os médicos e as concedentes, quando estejam relacionadas à concessão dos benefícios de que trata esta Medida Provisória, em respeito ao direito à saúde e aos princípios da transparência e do consumo informado”, afirma o texto.

Ao fazer a divulgação, as empresas deverão informar nome e CPF ou CNPJ de quem recebeu, além de o valor da despesa, o tipo de benefício e a data em que foi dado.


Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

FOCO NAS NOTÍCIAS

Inmet emite alerta de risco à saúde por conta de frio intenso

Publicados

em

Por

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de riscos à saúde devido à queda brusca de temperatura em algumas regiões do país. Ao todo, 11 estados e o Distrito Federal estão na zona de perigo. O aviso teve início às 10h55 de hoje (18) e segue até as 23h de sexta-feira (20).

De acordo com o alerta, as temperatura devem permanecer 5ºC abaixo da média pelo período de 3 a 5 dias.

O Inmet recomenda que, em caso de necessidade, as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, pelo telefone 199.

Previsão

A massa de ar polar, vinda do sul do Brasil, chegou hoje ao Distrito Federal que registrou mínima de  8,7°C, durante a madrugada. As temperaturas devem cair ainda mais nos próximos dias, podendo chegar a 4ºC amanhã, segundo previsão do Inmet.

Defesa Civil

Baixas temperaturas em Brasília. Baixas temperaturas em Brasília.

Baixas temperaturas em Brasília., por Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em comunicado, a Defesa Civil do Distrito Federal cita o alerta de perigo à saúde e dá orientações à população com relação ao frio:

Leia Também:  'Queria morrer por seis horas', diz homem que ingeriu bactéria

– Tenha especial atenção com crianças, idosos e pessoas doentes;

– Mantenha-se agasalhado. Proteja também as extremidades do corpo, use toucas e luvas;

– Beba bastante líquidos;

– Evite manter os ambientes muito fechados. Mantenha sua casa e local de trabalho limpos e arejados. Previna-se contra doenças respiratórias.

– Procure agasalhar seu animal de estimação. Considere o uso de roupas de proteção. Abrigue o em relação ao vento. Forre adequadamente o local de dormir;

– Seja solidário. Doe agasalhos e cobertores para quem precisa. Carregue, se possível, esse material no carro;

– Se precisar permanecer ao ar livre, proteja-se do vento.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA