BRASÍLIA

FOCO NAS NOTÍCIAS

Surto de hepatite infantil é só ‘a ponta do iceberg’, diz especialista

Publicados

FOCO NAS NOTÍCIAS


source
Surto de hepatite em crianças: 'O número de casos pode ser apenas a ponta do iceberg', diz especialista
Testalize.me / Unsplash

Surto de hepatite em crianças: ‘O número de casos pode ser apenas a ponta do iceberg’, diz especialista

O recente surto de hepatite aguda misteriosa pode ser apenas “a ponta do iceberg”, acredita o professor Simon Taylor-Robinson, hepatologista do Imperial College London. A doença já afetou cerca de 190 crianças e adolescentes em vários países, de acordo com dados mais recentes do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças.

Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail Online, o especialista disse acreditar que há mais casos ainda não relatados, dado o “número bastante alto” de transplantes que ocorreram para a quantidade de casos detectados da doença. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS, até o momento, pelo menos 17 crianças necessitaram de transplante de fígado — 10% das diagnosticadas com a doença — e pelo menos uma morreu.

Taylor-Robinson acredita, no entanto, que os casos ainda não relatados sejam menos graves e, por isso, não tenham sido notados pelos pais das crianças. A icterícia — o amarelecimento da pele ou dos olhos, um sinal revelador de doença hepática — foi detectada em menos da metade das crianças doentes. Outros sintomas, como náuseas, diarreia, letargia e dores de estômago são geralmente atribuídos a outras doenças, como intoxicação alimentar ou norovírus.

O boletim mais recente da OMS sobre o surto de hepatite em crianças, publicado no dia 21 de abril, aponta 169 casos identificados em 11 países europeus e nos EUA. Os diagnósticos estão divididos da seguinte maneira: Reino Unido (114), Espanha (13), Israel (12), Estados Unidos da América (9), Dinamarca (6), Irlanda (5), Holanda (4), Itália (4), Noruega (2), França (2), Romênia (1) e Bélgica (1). Os pacientes têm idades que variam de 1 mês de vida a 16 anos. Os primeiros casos começaram a ser relatados no começo de abril.

Leia Também:  Paxlovid: como funciona o remédio para Covid-19 aprovado pela OMS

Possíveis causas da hepatite misteriosa em crianças

A síndrome clínica entre os casos identificados é a hepatite aguda (inflamação do fígado) com enzimas hepáticas acentuadamente elevadas. Muitos casos relataram sintomas gastrointestinais, incluindo dor abdominal, diarreia e vômitos antes da apresentação com hepatite aguda grave e aumento dos níveis de enzimas hepáticas e icterícia. A maioria dos casos não apresentou febre. Os vírus comuns que causam hepatite viral aguda (vírus da hepatite A, B, C, D e E) não foram detectados em nenhum desses casos. Viagens internacionais ou links para outros países com base nas informações atualmente disponíveis não foram identificados como fatores.

O adenovírus foi detectado em pelo menos 74 casos e, do número de casos com informações sobre testes moleculares, 18 foram identificados como F tipo 41. O Sars-CoV-2 (coronavírus) foi identificado em 20 casos dos testados. Além disso, 19 foram detectados com uma co-infecção por Sars-CoV-2 e adenovírus.

Leia Também

A OMS afirma que ainda não está claro se houve um aumento nos casos de hepatite ou um aumento na conscientização sobre casos de hepatite que ocorrem na taxa esperada, mas não são detectados. Embora o adenovírus seja uma hipótese possível, as investigações estão em andamento para o agente causador.

Leia Também:  Covid: Pequim fecha 15% das estações de metrô em nova restrição

Especialistas têm analisado o impacto da pandemia de Covid-19 no surgimento deste surto. Alguns médicos estão associando o tempo prolongado dentro de casa devido à emergência de saúde a um possível enfraquecimento do sistema imunológico das crianças. O isolamento teria impedido que os pequenos fossem expostos a infecções comuns em seus primeiros anos de desenvolvimento dos sistemas de proteção do corpo.

O Reino Unido, onde a maioria dos casos foi relatada até o momento, observou recentemente um aumento significativo nas infecções por adenovírus na comunidade (particularmente detectada em amostras fecais em crianças) após baixos níveis de circulação no início da pandemia de Covid-19. A Holanda também relatou um aumento simultâneo da circulação de adenovírus na comunidade.

No entanto, devido a testes laboratoriais aprimorados para adenovírus, isso pode representar a identificação de um resultado raro existente ocorrendo em níveis não detectados anteriormente e que agora está sendo reconhecido devido ao aumento dos testes, avalia a OMS.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

FOCO NAS NOTÍCIAS

Inmet emite alerta de risco à saúde por conta de frio intenso

Publicados

em

Por

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de riscos à saúde devido à queda brusca de temperatura em algumas regiões do país. Ao todo, 11 estados e o Distrito Federal estão na zona de perigo. O aviso teve início às 10h55 de hoje (18) e segue até as 23h de sexta-feira (20).

De acordo com o alerta, as temperatura devem permanecer 5ºC abaixo da média pelo período de 3 a 5 dias.

O Inmet recomenda que, em caso de necessidade, as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, pelo telefone 199.

Previsão

A massa de ar polar, vinda do sul do Brasil, chegou hoje ao Distrito Federal que registrou mínima de  8,7°C, durante a madrugada. As temperaturas devem cair ainda mais nos próximos dias, podendo chegar a 4ºC amanhã, segundo previsão do Inmet.

Defesa Civil

Baixas temperaturas em Brasília. Baixas temperaturas em Brasília.

Baixas temperaturas em Brasília., por Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em comunicado, a Defesa Civil do Distrito Federal cita o alerta de perigo à saúde e dá orientações à população com relação ao frio:

Leia Também:  SP faz "Semana E" da vacinação contra Covid-19 nas escolas

– Tenha especial atenção com crianças, idosos e pessoas doentes;

– Mantenha-se agasalhado. Proteja também as extremidades do corpo, use toucas e luvas;

– Beba bastante líquidos;

– Evite manter os ambientes muito fechados. Mantenha sua casa e local de trabalho limpos e arejados. Previna-se contra doenças respiratórias.

– Procure agasalhar seu animal de estimação. Considere o uso de roupas de proteção. Abrigue o em relação ao vento. Forre adequadamente o local de dormir;

– Seja solidário. Doe agasalhos e cobertores para quem precisa. Carregue, se possível, esse material no carro;

– Se precisar permanecer ao ar livre, proteja-se do vento.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA