BRASÍLIA

GERAL

Foco Entrevistas! Sandro Mabel fala da importância do Setor Mineral a Gabriel Pinheiro.

Publicados

GERAL

Sandro Mabel, presidente do Conselho Temático de Mineração da CNI Postado por Silvana Scórsin em 20.06.2020 do portal graranyjunior.com.br O jornalista Gabriel Pinheiro, assessor da EKO Comunicação, entrevistou para o Simineral o presidente do Conselho Temático de Mineração da CNI. A entrevista está sendo reproduzida pelo Capital em Foco com colaboração do portal de Guaranyjunior.com em trabalho especial de Gabriel Pinheiro. Jornalista Gabriel Pinheiro – Eko Comunicação que atende ao Simineral, faz entrevista especial para este portal. Leia a entrevista: O Presidente do Conselho Temático de Mineração, da Confederação Nacional da Indústria, Sandro Mabel, conversou com o Simineral ON, a plataforma de conteúdos digitais do Sindicato das Indústrias Minerais do Pará, sobre as ações do Conselho em tempos de Pandemia. A entrevista foi conduzida pela jornalista Gabriel Pinheiro. Gabriel – Presidente, o Conselho Temático de Mineração ele é recente e foi instalado há pouco tempo. Eu queria que o senhor explicasse para as pessoas qual é a função desse conselho e qual a importância dele. Sandro Mabel – O conselho de mineração foi criado recentemente depois de ficar fechado por mais de 10 anos. A CNI achou que não deveria ter esse conselho e foi extinto em determinado momento, mas o momento atual faz com que a gente precise lutar pelas mineradoras. As pequenas, as médias e as grandes também. Então, a função desse conselho é essa. É dar condição pra que nós consigamos fazer uma mineração no Brasil cada vez maior e dentro dessa mineração, nós queremos, exatamente, poder fazer com que os licenciamentos saiam mais rápidos, que as áreas possam ir para leilão de uma forma mais intensa, que nós tenhamos a condição de fazer com que a mineração tenha uma grande onda. O objetivo é criar uma grande onda no Brasil de mineração. Nós esperamos em 10 anos duplicar o tamanho da mineração no Brasil. Gabriel – Presidente, o time do conselho que o senhor preside é bem diversificado e inclui pessoas consideradas chave pra mineração brasileira. Como tem sido o trabalho desse time? Sandro Mabel – Esse conselho me deixa muito feliz com a diversificação que nós temos das pessoas-chave da mineração em todo o país. E mais do que isso, a vontade que todos têm de trabalhar. Um conselho que ninguém ganha passagem, que ninguém nada para pertencer a ele. A pessoa simplesmente trabalha muito e a participação tem sido muito intensa e todos tem ajudado muito e assim a gente tem feito um trabalho grande no conselho. O vice-presidente nosso, Luiz Nogueira, ele tem feito um trabalho espetacular junto com a FFA que é uma escola de advocacia na área de mineração que tem feito pareceres inclusive gratuitos para o CoMin e de grande valia. E assim nós temos levado para as autoridades dados importantes. Também estamos tendo vitórias expressivas como o Presidente (Jair Bolsonaro) ter colocado a mineração como atividade essencial. Isso foi importante nesse tempo de pandemia. GABRIEL – E, hoje, Presidente, qual é a principal agenda do Conselho? Sandro Mabel – A Agenda do Conselho é uma agenda muito vasta até porque nós temos mineração de vários tipos. Mas o principal nele é nós facilitarmos a vida das mineradoras, é nós fazermos com que a atividade de mineração seja considerada uma atividade importante no país e que nós possamos, efetivamente, e cada vez mais, fazer com que se tenha condição de minerar. Que se tenha condição jurídica, que se possa ter investimento, dinheiro, incentivos fiscais, enfim. A mineração precisa de um apoio. A mineração , quando eu falo da criação da onda, é uma onda como foi a agricultura em um determinado momento que vinha, aí, cambaleando e, de repente, se colocou dinheiro em tecnologia, financiamento de máquinas… tudo isso a mineração precisa também pra que ela seja a nova onda do país. Uma onda importante que vai gerar muitas riquezas e muitos empregos também. É o grande salto na área de empregos, principalmente, vai ser mineração nos próximos anos. GABRIEL – Como vocês adequaram essa vasta agenda ao cenário atual, impactado pela pandemia? Sandro Mabel – Não paramos nenhum momento com a Pandemia. O conselho tem trabalhado, reunido até extraordinariamente porque quando nós fazemos uma reunião só, mensal, é difícil levar o pessoal todo à Brasília, então se fazia assim. Agora, se faz uma reunião uma semana sim, a outra também, pula uma… então nós temos tratado muitos casos com muita frequência e nos falamos todos os dias… o cenário atual de pandemia tem ajudado a fortalecer. As ações precisam ser tomadas, tenho falado muito com o Ministério (de Minas e Energia), com a Secretaria de Mineração, da ANM, todos com muita disposição de levar essa mineração à frente. Eu to muito otimista e tenho certeza que vamos fazer um bom trabalho pela mineração nesses próximos anos. Gabriel – E como o senhor avalia, presidente, que vai ser o futuro da mineração após a pandemia? E do conselho temático de mineração também? Sandro Mabel – O futuro da mineração após essa pandemia ele vai ser cada vez melhor. O José Fernando (Gomes Junior) também tem feito um trabalho espetacular. Ele é o cara mais ativo que eu conheço, faz vários webinares, trabalha e tudo quanto é tema, ele ajuda, dá palpite, participa, fornece dados, então tem sido um companheiro extraordinário do nosso conselho. Outra pessoa que tem ajudado muito é o Ministro Bento (Albuquerque, de Minas e Energia). O Ministro Bento foi fundamental no decreto que fez da mineração uma atividade essencial e tem apoiado muito, ele tem muita vontade, muito conhecimento e esse Ministro vai nos ajudar a dar esse salto da mineração nesses próximos ano, eu não tenho dúvida.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Foco dicas! Livros
Propaganda

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO NAS NOTÍCIAS – Governo Federal institui Programa de emprego e capacitação voltado para mulheres e jovens.

Publicados

em

Foto: Presidente Jair Bolsonaro e a Deputada Federal Celina Leão/PP

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (4), Medida Provisória que institui programa voltado à inserção e à manutenção das mulheres e jovens no mercado de trabalho e Decreto que visa criar 100 mil novas vagas de aprendizagem profissional e contribuir para melhorar a qualificação e a empregabilidade dos jovens. A ação faz parte do Programa Renda e Oportunidade (PRO), uma série de medidas lançadas pelo Ministério do Trabalho e Previdência para alavancar a retomada do emprego e da economia no País.

O ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, destacou os 2 milhões e 700 mil novos empregos criados em 2021 no Governo do presidente Jair Bolsonaro, “o maior número dos últimos 10 anos. E somente no primeiro trimestre de 2022 já são mais de 600 mil novos empregos e podemos sonhar que até o final de 2022 a gente consiga superar todas as expectativas”.
O novo programa cria uma série de medidas para impulsionar as boas práticas na promoção da empregabilidade das mulheres, como a flexibilização do regime de trabalho, a qualificação em áreas estratégicas para ascensão profissional e apoio a mulheres no retorno ao trabalho após a licença maternidade. Ao grupo feminino, a MP prevê a implementação de várias medidas de apoio à parentalidade na primeira infância – via reembolso creche ou a liberação de valores do FGTS para auxílio no pagamento de despesas e manutenção ou subvenção de instituições de educação infantil pelos Serviços Sociais.
Será ainda incentivada a flexibilização do regime de trabalho dos pais após o término da licença maternidade, para apoio às mulheres no retorno ao trabalho nesse período, tais como a implantação do regime de tempo parcial e compensação de jornada por meio de banco de horas, além da jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas ininterruptas de descanso, quando a atividade permitir, além da antecipação de férias e flexibilização do horário de entrada e de saída.
O programa foca na empregabilidade das mulheres, especialmente aquelas que sofrem impacto direto da maternidade – até os cinco anos de idade dos filhos – no que se refere à capacidade de inserção, permanência e progressão no mercado de trabalho. Também institui o “Selo Emprega + Mulher”, para promover nas empresas a adoção de boas práticas na contratação, ocupação de postos de liderança e a ascensão profissional de mulheres.

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

Na solenidade de assinatura foi convidada a discursar pelo Presidente da República, Jair Bolssonado, a coordenadora da Bancada Feminina da Câmara dos Deputados, a deputada federal, Celina Leão. Em seu discurso Celina Leão, a deputada quebrou o protocolo e iniciou cumprimentando as mulheres presentes, a primeira dama Michelle Bolsonaro.

Leia Também:  Foco na vida! Doe sangue para Manuela!

Em seu discurso, a parlamentar Celina Leão, ressaltou que , em sua legislatura, aprovou 162 leis voltadas às mulheres (algumas ainda tramitando no Senado).  Jair Bolsonaro sancionou 66 delas, ato nunca feito antes por outro presidente. Sancionando inclusive, leis de autoria de deputadas da oposição, reconhecendo o trabalho da bancada feminina sem discriminação.

“A medida provisória, revoluciona a questão de como o Estado olha a parentalidade responsiva, situações onde o homem também poderá desfrutar da licença maternidade, saque do FGTS para pagamento de creche entre várias outras ações progressistas. “, afirmou Celina Leão.

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

Para os jovens, o programa busca aumentar as oportunidades de formação e de inclusão produtiva do adolescente e do jovem por meio da aprendizagem profissional. Foram criadas 100 mil novas vagas de aprendiz e foi instituído o Projeto Nacional de Incentivo à Contratação de Aprendizes, por meio do qual as empresas participantes terão benefícios para regularizarem o cumprimento da cota de aprendizagem, com uma estimativa de contratação de 250 mil adolescentes e jovens ainda este ano.
Também foram estabelecidas medidas para incluir mais adolescentes e jovens vulneráveis na aprendizagem, com prioridade para o público do Auxílio Brasil, adolescentes em acolhimento institucional, aqueles provenientes do trabalho infantil, entre outros. A MP e o Decreto trazem ainda medidas para melhorar a formação do aprendiz e para integrar a aprendizagem profissional ao novo ensino médio da rede pública de ensino, contribuindo para que os adolescentes e jovens permaneçam na escola enquanto são qualificados e ingressam no mercado de trabalho. A MP amplia também o prazo máximo da aprendizagem de dois para três anos e cria incentivos para que as empresas efetivem os aprendizes em contratos de trabalho por tempo indeterminado após a conclusão do programa de aprendizagem.

Leia Também:  Foco nas Lives! Especial! Doe! “#AJUDEAÍ” com Tamires Moraes!

Fonte: ascom Ministerio do trabalho e previdência

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA