BRASÍLIA

GERAL

FOCO ESPECIAL! ARTIGO DE PATRÍCIA SANTOS!

Publicados

GERAL

Como lidar com as emoções e com o medo de sair de casa pós-pandemia Foto: BBC.com Patrícia Santos, palestrante, escritora e especialista em Gerenciamento da Raiva Fazer compras em lojas, ir ao cinema, ao trabalho ou a lugares públicos eram atividades que adorávamos desfrutar antes da pandemia. Mas, após tanto tempo em distanciamento, isolamento social e quarentena, para muitos esses eventos se tornaram um verdadeiro pesadelo. Usar o transporte público com muita gente, participar de reuniões presenciais de trabalho, atividades que sempre foram tão comuns, agora deixam as pessoas preocupadas ou estressadas, antes mesmo de se considerar o risco de infecção. Tudo isso pode ser resumido à ansiedade pós-confinamento, ou seja, aquele medo ou preocupação de retomar o que antes era considerada uma vida normal ou o chamado FOGO – Fear Of the Going Out – o medo de sair. O resultado é uma nova onda de medo e ansiedade, ocasionada pela simples possibilidade de ter que sair de casa. E é mais comum do que imaginamos. Após tantos dias vivendo uma nova realidade, ganhamos a terrível sensação de que o único lugar seguro no mundo é o nosso lar e pode realmente parecer muito estranho sair. E o perigo mora na perda da confiança das coisas que não fazemos há muito tempo. Uma pesquisa realizada na Inglaterra mostrou que, após a flexibilização da quarentena e a diminuição das restrições diante da Covid-19, mais de 60% dos britânicos se sentem desconfortáveis ​​com a perspectiva de voltar a frequentar bares e restaurantes, usar transporte público ou ir a um grande encontro, como um evento esportivo. A pesquisa apontou inclusive, o medo até de enviar seus filhos para a escola. Ainda segundo o estudo, mais de 30% dos entrevistados disseram que estão preocupados em ter que voltar ao trabalho ou encontrar amigos. O mundo já presenciou outras pandemias e, aquelas que tiveram a necessidade de confinamento registraram picos quase universais de ansiedade, depressão e raiva. As pessoas apresentaram dificuldades para regular suas emoções epesquisadores descobriram que os traumas mais profundos só surgiram após o término dessas crises. Observaram também que pode haver aumento da insônia e abuso de substâncias ilícitas e bebidas alcoólicas. Por esse motivo, é essencial cuidar da sua saúde mentalnão somente durante a pandemia, mas prepará-la também para o pós, já que assim como as crises anteriores, essa também vai passar. Algumas estratégias podem ser adotadas no dia a dia para isso. É preciso, principalmente, que as pessoas diminuama tensão que está associada à situação ou ao local. Algumas dicas: • Focar em táticas positivas de enfrentamento como exercícios, meditação, caminhadas ao ar livre (respeitando as normas de segurança atuais e locais) e tomar ar frescosempre que possível; • Monitorar o seu diálogo interno e se questionar se os pensamentos são úteis ou se estão contribuindo para diminuir a ansiedade; • Diminuir a quantidade de notícias absorvidas sobre a crise, a doença, a situação mundial; • Ao dirigir, ouvir aquela música favorita e se permitir cantar junto; • Enquanto estiver em uma fila ou aguardando para ser atendido, ter sempre a mão aquele seu livro favorito, de enredo leve e que traga uma sensação de calma e conforto; • Se utilizar o transporte público for extremamente necessário, durante o trajeto, procure ver fotos arquivadas no seu celular para evocar boas lembranças da vida, principalmente de eventos antes da pandemia; • Em reuniões de trabalho, lembre-se da importância de compartilhar ideias e manter a empregabilidade neste momento tão difícil que todos estão enfrentando; • Se for necessário realizar uma viagem longa, aproveite para turbinar sua mente com jogos de lógica e atenção focada; • Se conhecer alguém que está ansioso em ter que sair de casa, adicione humor ao dia dessa pessoa e fale sobre si mesmo pode acalmá-lo; • Se sentir-se estressado, cansado ou ansioso, pare e respire calmamente por quatro segundos para inspirar e seissegundos para expirar. Preste atenção somente na sua respiração; • O distanciamento físico não significa que você não tem a possibilidade de ajudar ou ser ajudado. Praticar boas ações durante a crise pode contribuir para nos sentirmos melhores e, de quebra, melhorarmos o mundo. Muitas mudanças ocorrem pela forma como pensamos noscomportamos e nos relacionamos. Algumas serão temporárias, mas outras potencialmente permanentes, definindo nosso novo normal. Essa ansiedade persistirá por um longo tempo e mudará profundamente a maneira como as pessoas interagem. Mas, não podemos deixar que o nosso medo nos paralise. Somos incrivelmente capazes de nos adaptar a qualquer tipo de situação. Sobre Patrícia Santos Consultora, escritora e palestrante, docente em cursos de pós-graduação em diversas instituições pelo país. É especialista em Anger Management (Gerenciamento da Raiva), pela National Anger Management Association – NAMA de Nova Iorque, EUA, onde também é fellow. É coautora do livro “Raiva, quem não tem?”. A obra é um verdadeiro crossfit emocional que não só discorre sobre o tema, mas também ensina o leitor a medir, encarar, transformar e a seguir em frente.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  FOCO NA CULTURA COM GUSTAVO DOURADO - Nordestina-se: Homenagem ao Nordestino
Propaganda

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO NAS NOTÍCIAS – Governo Federal institui Programa de emprego e capacitação voltado para mulheres e jovens.

Publicados

em

Foto: Presidente Jair Bolsonaro e a Deputada Federal Celina Leão/PP

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (4), Medida Provisória que institui programa voltado à inserção e à manutenção das mulheres e jovens no mercado de trabalho e Decreto que visa criar 100 mil novas vagas de aprendizagem profissional e contribuir para melhorar a qualificação e a empregabilidade dos jovens. A ação faz parte do Programa Renda e Oportunidade (PRO), uma série de medidas lançadas pelo Ministério do Trabalho e Previdência para alavancar a retomada do emprego e da economia no País.

O ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, destacou os 2 milhões e 700 mil novos empregos criados em 2021 no Governo do presidente Jair Bolsonaro, “o maior número dos últimos 10 anos. E somente no primeiro trimestre de 2022 já são mais de 600 mil novos empregos e podemos sonhar que até o final de 2022 a gente consiga superar todas as expectativas”.
O novo programa cria uma série de medidas para impulsionar as boas práticas na promoção da empregabilidade das mulheres, como a flexibilização do regime de trabalho, a qualificação em áreas estratégicas para ascensão profissional e apoio a mulheres no retorno ao trabalho após a licença maternidade. Ao grupo feminino, a MP prevê a implementação de várias medidas de apoio à parentalidade na primeira infância – via reembolso creche ou a liberação de valores do FGTS para auxílio no pagamento de despesas e manutenção ou subvenção de instituições de educação infantil pelos Serviços Sociais.
Será ainda incentivada a flexibilização do regime de trabalho dos pais após o término da licença maternidade, para apoio às mulheres no retorno ao trabalho nesse período, tais como a implantação do regime de tempo parcial e compensação de jornada por meio de banco de horas, além da jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas ininterruptas de descanso, quando a atividade permitir, além da antecipação de férias e flexibilização do horário de entrada e de saída.
O programa foca na empregabilidade das mulheres, especialmente aquelas que sofrem impacto direto da maternidade – até os cinco anos de idade dos filhos – no que se refere à capacidade de inserção, permanência e progressão no mercado de trabalho. Também institui o “Selo Emprega + Mulher”, para promover nas empresas a adoção de boas práticas na contratação, ocupação de postos de liderança e a ascensão profissional de mulheres.

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

Na solenidade de assinatura foi convidada a discursar pelo Presidente da República, Jair Bolssonado, a coordenadora da Bancada Feminina da Câmara dos Deputados, a deputada federal, Celina Leão. Em seu discurso Celina Leão, a deputada quebrou o protocolo e iniciou cumprimentando as mulheres presentes, a primeira dama Michelle Bolsonaro.

Leia Também:  POANIMA DISSEMINANDO O CONHECIMENTO

Em seu discurso, a parlamentar Celina Leão, ressaltou que , em sua legislatura, aprovou 162 leis voltadas às mulheres (algumas ainda tramitando no Senado).  Jair Bolsonaro sancionou 66 delas, ato nunca feito antes por outro presidente. Sancionando inclusive, leis de autoria de deputadas da oposição, reconhecendo o trabalho da bancada feminina sem discriminação.

“A medida provisória, revoluciona a questão de como o Estado olha a parentalidade responsiva, situações onde o homem também poderá desfrutar da licença maternidade, saque do FGTS para pagamento de creche entre várias outras ações progressistas. “, afirmou Celina Leão.

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

Para os jovens, o programa busca aumentar as oportunidades de formação e de inclusão produtiva do adolescente e do jovem por meio da aprendizagem profissional. Foram criadas 100 mil novas vagas de aprendiz e foi instituído o Projeto Nacional de Incentivo à Contratação de Aprendizes, por meio do qual as empresas participantes terão benefícios para regularizarem o cumprimento da cota de aprendizagem, com uma estimativa de contratação de 250 mil adolescentes e jovens ainda este ano.
Também foram estabelecidas medidas para incluir mais adolescentes e jovens vulneráveis na aprendizagem, com prioridade para o público do Auxílio Brasil, adolescentes em acolhimento institucional, aqueles provenientes do trabalho infantil, entre outros. A MP e o Decreto trazem ainda medidas para melhorar a formação do aprendiz e para integrar a aprendizagem profissional ao novo ensino médio da rede pública de ensino, contribuindo para que os adolescentes e jovens permaneçam na escola enquanto são qualificados e ingressam no mercado de trabalho. A MP amplia também o prazo máximo da aprendizagem de dois para três anos e cria incentivos para que as empresas efetivem os aprendizes em contratos de trabalho por tempo indeterminado após a conclusão do programa de aprendizagem.

Leia Também:  Foco especial! Dia Nacional da Pizza – 10 de julho

Fonte: ascom Ministerio do trabalho e previdência

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA