BRASÍLIA

GERAL

FOCO ESPECIAL! Como falar e divulgar de forma segura e responsável informações sobre o suicídio.

Publicados

GERAL

Por Leone Carneiro Santos Setembro é o mês dedicado à prevenção do suicídio, tendo seu cume, o dia 10, no qual é celebrada a data da prevenção do mesmo. Todos os anos, e creio que este não será diferente, principalmente devido à pandemia, várias ações serão organizadas com o intuito de fomentar a prevenção. Uma relação entre a pandemia e o suicídio foi um artigo publicado no jornal O Globo de 30 de agosto de 2020. A reportagem afirma que há um receio do aumento de suicídio entre profissionais da saúde como consequência do COVID-19. Falar sobre o mesmo gera receio, medo e outras sensações entre as pessoas. Podemos dizer que o assunto ainda é tabu como a depressão, por exemplo. Assim, quanto mais falamos e divulgamos informações sobre o assunto, estaremos ajudando a reverter este estigma. Porém, é de extrema importância que a maneira como a notícia é divulgada e falada. A título de exemplo: divulgar nas mídias e redes sociais uma carta de despedida de uma pessoa que morreu de suicídio. Acredita-se que esta ação não colabora em nada a maneira como deveríamos tratar o tema. As informações acima e as que serão apresentadas a seguir fazem parte de um Workshop denominado Como Falar de Forma Segura sobre o Suicídio. O evento ocorreu no dia 01 de setembro de 2020 e foi organizado pelo Instituto Vita Allere, referência na prevenção e pós- vencão (trabalho e apoio dado com os enlutados) e tinha como público alvo profissionais da mídia e influenciadores digitais. Já se conhece muito sobre o assunto. Porém, algumas questões ainda deixam questionamentos (a depressão é ou não a principal causa pelas mortes suicidas?). Podemos definir suicídio o ato de uma pessoa tirar a própria vida, em um momento de dor intolerável, interminável e inescapável (3I´s), não qual ela não enxerga outra saída (definição da autora). Como afirmado acima, ainda existem questionamento sobre o assunto, pois o mesmo é multifatorial. Vários fatores e contextos colaboram para o ato tirar a própria vida: sociológicos, culturais, econômicos, idade, gênero, psiquiátricos e psicológicos. No que diz respeito à divulgação de atos suicidas, uma informação é importante: a Organização Mundial da Saúde (OMS) não afirma que não se pode falar sobre o assunto desde que seja de MANEIRA RESPONSÁVEL. E no que concerne às mídias e jornalistas, tanto a OMS como o Vita Alerre dão dicas sobre como abordar o tema de maneira saudável e responsável em reportagens ou vídeos. Eis o que deve ser evitado para que diminua a chance de a notícia influenciar, negativamente, pessoas que já tem predisposição para cometer o ato de se matar: – Publicar fotos ou vídeos, tanto do ato como de familiares e velório;- – Mostrar o método e locais (hot spots) utilizados. Exemplo: pular de uma ponte ou usar uma arma de fogo; – Contar piadas sobre o suicídio e transtornos mentais; – Evitar o sensacionalismo; – Escolher, adequadamente, em qual seção da mídia a história será publicada. Exemplo: evitar primeira página de uma revista ou jornal; -Pesquisar fontes diversas antes de publicar a notícia; -Linguagem utilizada; – Refletir: o que a mídia ganha e agrega com a publicação? Quais benefícios a reportagem traz para a sociedade? Não temos dúvidas que os cidadãos e as mídias podem colaborar na quebra deste estigma. E como? Incluindo informações, tais como: locais onde procurar ajuda ou ter mais informações, como o Centro de Valorização da Vida, n° 188, histórias de superação e resiliência, mensagem que o suicido pode ser prevenido, ENCORAJAR as pessoas a procurarem ajuda, estimular grupos de conversas e debates saudáveis sobre o suicídio. Algumas curiosidades sobre o tema: em vários locais do mundo, há lugares (hot spots) mais utilizados para praticar o ato; a cor amarela foi escolhida devido ao fato de um dos primeiras caso de suicídio ter ocorrido nos Estados Unidos dentro de um Mustang amarelo; homens praticam mais o suicídio que as mulheres; a faixa etária mais atingida é entre 15 a 29 anos; a cada vida perdida, há outras vidas envolvidas, como familiares; o número de profissionais da saúde que morre por suicídio é alta pois eles tem acesso à medicação de diversos tipos. Apesar de setembro ser o mês da prevenção, acreditamos que todo dia é dia é útil para falarmos sobre o assunto. Acreditamos, também, que podemos quebrar tabus e ajudar pessoas próximas dialogando sobre o tema e observando os sinais que as pessoas demonstram. Sem dúvidas, conversar, francamente, sem juízo de valor e de maneira bondosa, é uma excelente estratégia de ajuda. No Brasil, além da Vita Alerre (https://vitaalere.com.br/), temos associações que tratam o assunto: Associação Brasileira de Psiquiatria (https://www.abp.org.br/), O CVV (https://www.cvv.org.br/), já citado anteriormente, e órgãos do Governo Distrital (http://www.saude.df.gov.br/carta-de-servicos-caps/). Por último, destacamos uma frase que parece óbvia, mas relevante: ninguém se mata feliz. Cuidemos da nossa saúde mental.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Foco nas Lives! Saúde Mental! Dia da Luta Antimanicomial!
Propaganda

FOCO ESPECIAL

FOCO ESPECIAL – A SEGUNDA EDIÇÃO “ELAS EMPREENDEM E VENCEM” MOVIMENTOU O RECANTO DAS EMAS!

Publicados

em

No dia 14 de maio, sábado, a equipe do Jornal Capital em Foco realizou a 2ª Edição do “Elas empreendem e vencem” no ginásio Tatuzão, no Recanto das Emas/DF.

Comandado pela cerimonialista da Bolshoi Eventos e também colaboradora do Jornal Capital em Foco, Karla Lopes,

o evento nesta edição contou com a participação da Faculdade Estácio representada pelos alunos dos cursos de Nutrição, Enfermagem, Direito, Contábeis e Fisioterapia que prestaram atendimento a comunidade.

Também presente no evento, o CRAS com orientações sobre os benefícios prestados pelo órgão, a SEJUS com procedimentos beleza, a CODHAB com o atendimento “Morar Bem”, a Secretaria da Mulher com serviços médicos e orientações sobre o autoexame das mamas e a ONG Programando o Futuro com o ônibus para o recolhimento do lixo eletrônico e serviços sociais de corte de cabelo e aferição de pressão.

A Administração do Recanto das Emas cedeu não só o local para a realização do evento, como também a infraestrutura de som e imagem.

Os participantes ainda puderam assistir a palestra do consultor do SEBRAE – Gerson Spíndola sobre MEI, um talk show mediado pela jornalista Silvana Scórsin com: a empresária e proprietária da Pizzaria Magia, Ana Cristina; o empresário Salomão Ferretti, proprietário da SAMA – RH e Marketing Promocional (que doou camisetas personalizadas para a equipe do Jornal Capital em Foco); a psicanalista Rosane Lopes; a coach de carreiras, Tamara Penha; a empresária do ramo e cursos e treinamentos INTEGRA, Naiara Clemente;  a especialista em Mídia Digital Bárbara Scorsin; a empresária do ramo de confeitaria, Eduarda Yasmim e a Assistente Social e Neurocientista  da ONG “Mulher Simples Assim”, Marcia Sousa que dividiram seus conhecimentos e experiencias como empreendedores com o intuito de encorajar e ajudar as mulheres  a entrarem e se manterem no ramo de negócio e  agregar e auxiliar nas dificuldades enfrentadas.

Leia Também:  Foco no trabalho! Prefeitura de São Paulo institui home office de forma definitiva.

 

Ao final, a palestra de Fana Lopes, criadora de conteúdos sobre comportamento, que tem um canal no youtube – Fana Lopes – e é colaboradora do Capital em Foco, na coluna FOCO COM FANA LOPES.

O evento terminou  animado pelo colaborador do Jornal Capital em Foco, D’ROSA  com  sorteios de vários brindes, doados pelos comerciantes e apoiadores: SEBRAE, All Rede (que também disponibilizou para todos, sinal de internet), Loja Essencial, Livraria Leitura, Bolshoi Eventos,  site Radar Digital Brasília, a loja de vinhos e espumantes LAVINOCASA, a floricultura Rainha Margarida, o Trem da Roça, Rivania Bijoux, Duda Gourmet, Loja Rei do Bebê, Closet Majohn, Móveis e Utilidades Santo Antonio, KS Acessórios, Papelaria Impacto, Tamires Cosméticos, o Restaurante Sabor da Roça, Top Pães, Padaria Suprema, Panicenter, a Distribuidora Santa Fé, Jaqueline Texeira Disigner, CIK2 multimarcas, Bolo Fofo da Dayane e a instalação do Pula-Pula para crianças pela Provençal Festas.

“O objetivo do encontro foi compartilhar o conhecimento adquirido com experiências em empreendedorismo, e deste modo, contribuir para o desenvolvimento profissional de mulheres que decidem empreender para vencer. Missão cumprida!

Todos os nossos convidados se dedicaram nessa missão, na ajuda às mulheres que se encontram com dificuldade em tirar seus projetos do papel por falta de uma orientação ou aquelas que pensam em parar por diversas dificuldades.”  – Disse a Presidente do Jornal Capital em Foco, Betânia Sousa.

 

A equipe do Jornal Capital em Foco aproveita para agradecer as pessoas que ficaram anônimas durante o evento, mas que fizeram a diferença para tudo dar certo. Gabriel Scórsin, Lilian Aparecida Pinto, Neuza Barbosa, Neide Barbosa e Kenia Severo , Jael Fontenelle ,  Ricardo Wilson Guimarães, Itamar alemão do Caminhão, Elaine, Ivone Maria e Maria Ivone e Meriva.

Leia Também:  Sem cerimônias! Eu não brinco com seus sonhos!

E você, nosso leitor, fique ligado na programação de outras edições do “Elas empreendem e vencem”.

 

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA