BRASÍLIA

GERAL

FOCO NA SOLIDARIEDADE! Por que eu me importo?

Publicados

GERAL

Foto: Silvana Scórsin Por Silvana Scórsin No último sábado, 08 de maio de 2021, a convite do idealizador do Projeto Dudu Noel, fui a comunidade de Pacaembu, nas proximidades de Valparaíso de Goiás, para participar da ação de entregas das cestas básicas, brinquedos e leites para uma parcela de pessoas carentes, tudo com o protocolo de segurança devido a pandemia. Todos os integrantes da equipe, testados e com máscaras. Confesso que faço isso desde que me conheço por gente, aprendi vendo, exemplo é o melhor aprendizado. Pai, mãe, avós, enfim, uma família sempre engajada em se ajudar e ajudar o próximo. Lá no Sul, o frio costuma nos trazer um pouco mais de compadecimento. Às vezes, não conseguimos imaginar frio combinando com fome! Mas esse dia, com Dudu Noel e sua equipe, foi outra história! Mas, no entanto, mesmo sendo advertida pelo Dudu Noel que eu teria fortes emoções, segui esperando os rostinhos de alegria, de agradecimento e carinho. São os alimentos para nossas almas, frágeis e cansadas de tantos egoísmos e vazios. Na Igreja fui posta logo a prova, solicitada a manifestar um discurso. Mas, o que falar de novo a quem só precisa matar a fome? Falei que estava grata por estar ali e poder ser uma peça na mão de Deus, que tem esse poder inigualável, e ter sido movida junto aos amigos a vir de longe trazer o que precisavam. De lá fomos para algumas residências “pré-cadastradas” por Dudu Noel para aquele dia, que sim, seria o dia em que eu me importaria para o resto dos meus dias. Aprenderia que, assim como o frio e a fome formavam uma dose mortal e torturante, a fome e a falta de acesso aos seus direitos sociais é o pior, e uma das mais mortais e indignas combinações na sociedade atual brasileira. Logo conheci Raquel e Messias (video abaixo) , pais de Calita, uma jovem de 20 anos que desde os seus 5 tem convulsões de 8 a 12 vezes por dia. Passa o dia nua, não aceita roupas, as rasga, não interage com ninguém, não se alimenta normalmente, não fala, não tem coordenação, não tem visão boa, ou seja, um bebe gigante. O que tem isso? Existem muitas “Calitas” no mundo? Sim! Mas quantas delas estão sem uma única chance de ter alguém efetivamente que possa leva-las a um especialista, ao um hospital neurológico, a um “Sarah” (centro neurológico) para que ela tenha o acesso de direito, e um tratamento possível para a já diagnosticada (esquizofrenia), e ser medicada e estimulada e ter a possibilidade de vir a ser uma cidadã, ter vida, ter uma profissão, estudar e de ter a chance de ver o mundo. A mãe, não sai do lado dela, e se em algum instante lhe faltar, Calita pode se machucar ou coisa pior, já que moram em local de difícil acesso. O pai faz transporte diário, do qual retira o suficiente para o alimento do dia, e o que usam, como roupa e outras coisas, vem de doação. Não conhecem nada a respeito de acesso a tratamento disponíveis para Calita, e se soubessem, não teriam como sair a procura. À mãe, já propuseram internar Calita mas, acho que não explicaram de maneira mais compreensiva, pois Raquel está traumatizada com a possibilidade de a menina permanecer para o resto da vida tomando choques e sem poder vê-la. Lamento! Eu me importo! Precisamos mudar isso! A segunda visita foi tão revoltante quanto a de Calita! Conheci Elias (Foto) menino ativo, esperto e bonito como tantos outros que conheci, especiais com Síndrome de Donw na minha vida. Elias tem 6 anos e está em uma comunidade muito afastada, sua mãe não sabe ler e escrever e também não sabe que tem direito ao acesso e a tratamentos de estímulos e inclusão social para Elias. Então, Elias, já com quase seus 7 anos, poderia estar apresentando grau de interação, estar mais calmo, estudando, com correção na visão, falando e muito mais. Então, eu me importei! Abracei ele assim que ele permitiu! E pensei: Como ajudar? Quem pode ajudar? O que posso fazer? Não é justo! Naquele dia, Deus moveu os anjos da equipe do Dudu Noel, e muitas outras casas receberam alimentos, leites e brinquedos. Um trabalho lindo, essencial e digno, que restabelece a esperança dessas pessoas a continuar. Mas, eu me importo! Temos imensa parcela da sociedade que possui o privilégio e suporte (Hospital da criança, Sarah, farmácia popular), pelo simples fato de terem um mínimo de instrução. Todos merecem isso! Todos precisam ter! Essas pessoas que conheci, são pessoas fora do radar dos governantes? Não pode ser! Aqui um apelo! São muitos! É vida! É Digno! É fundamental! Ponto! Você se importa? Compartilhe por favor, com quem pode se importar! Video de “CALITA”

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  XV CONPRA
Propaganda

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO NAS NOTÍCIAS – Governo Federal institui Programa de emprego e capacitação voltado para mulheres e jovens.

Publicados

em

Foto: Presidente Jair Bolsonaro e a Deputada Federal Celina Leão/PP

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (4), Medida Provisória que institui programa voltado à inserção e à manutenção das mulheres e jovens no mercado de trabalho e Decreto que visa criar 100 mil novas vagas de aprendizagem profissional e contribuir para melhorar a qualificação e a empregabilidade dos jovens. A ação faz parte do Programa Renda e Oportunidade (PRO), uma série de medidas lançadas pelo Ministério do Trabalho e Previdência para alavancar a retomada do emprego e da economia no País.

O ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, destacou os 2 milhões e 700 mil novos empregos criados em 2021 no Governo do presidente Jair Bolsonaro, “o maior número dos últimos 10 anos. E somente no primeiro trimestre de 2022 já são mais de 600 mil novos empregos e podemos sonhar que até o final de 2022 a gente consiga superar todas as expectativas”.
O novo programa cria uma série de medidas para impulsionar as boas práticas na promoção da empregabilidade das mulheres, como a flexibilização do regime de trabalho, a qualificação em áreas estratégicas para ascensão profissional e apoio a mulheres no retorno ao trabalho após a licença maternidade. Ao grupo feminino, a MP prevê a implementação de várias medidas de apoio à parentalidade na primeira infância – via reembolso creche ou a liberação de valores do FGTS para auxílio no pagamento de despesas e manutenção ou subvenção de instituições de educação infantil pelos Serviços Sociais.
Será ainda incentivada a flexibilização do regime de trabalho dos pais após o término da licença maternidade, para apoio às mulheres no retorno ao trabalho nesse período, tais como a implantação do regime de tempo parcial e compensação de jornada por meio de banco de horas, além da jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas ininterruptas de descanso, quando a atividade permitir, além da antecipação de férias e flexibilização do horário de entrada e de saída.
O programa foca na empregabilidade das mulheres, especialmente aquelas que sofrem impacto direto da maternidade – até os cinco anos de idade dos filhos – no que se refere à capacidade de inserção, permanência e progressão no mercado de trabalho. Também institui o “Selo Emprega + Mulher”, para promover nas empresas a adoção de boas práticas na contratação, ocupação de postos de liderança e a ascensão profissional de mulheres.

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

Na solenidade de assinatura foi convidada a discursar pelo Presidente da República, Jair Bolssonado, a coordenadora da Bancada Feminina da Câmara dos Deputados, a deputada federal, Celina Leão. Em seu discurso Celina Leão, a deputada quebrou o protocolo e iniciou cumprimentando as mulheres presentes, a primeira dama Michelle Bolsonaro.

Leia Também:  Foco especial! Dia Mundial do Livro!

Em seu discurso, a parlamentar Celina Leão, ressaltou que , em sua legislatura, aprovou 162 leis voltadas às mulheres (algumas ainda tramitando no Senado).  Jair Bolsonaro sancionou 66 delas, ato nunca feito antes por outro presidente. Sancionando inclusive, leis de autoria de deputadas da oposição, reconhecendo o trabalho da bancada feminina sem discriminação.

“A medida provisória, revoluciona a questão de como o Estado olha a parentalidade responsiva, situações onde o homem também poderá desfrutar da licença maternidade, saque do FGTS para pagamento de creche entre várias outras ações progressistas. “, afirmou Celina Leão.

Foto: Deputada Federal Celina Leão/PP

Para os jovens, o programa busca aumentar as oportunidades de formação e de inclusão produtiva do adolescente e do jovem por meio da aprendizagem profissional. Foram criadas 100 mil novas vagas de aprendiz e foi instituído o Projeto Nacional de Incentivo à Contratação de Aprendizes, por meio do qual as empresas participantes terão benefícios para regularizarem o cumprimento da cota de aprendizagem, com uma estimativa de contratação de 250 mil adolescentes e jovens ainda este ano.
Também foram estabelecidas medidas para incluir mais adolescentes e jovens vulneráveis na aprendizagem, com prioridade para o público do Auxílio Brasil, adolescentes em acolhimento institucional, aqueles provenientes do trabalho infantil, entre outros. A MP e o Decreto trazem ainda medidas para melhorar a formação do aprendiz e para integrar a aprendizagem profissional ao novo ensino médio da rede pública de ensino, contribuindo para que os adolescentes e jovens permaneçam na escola enquanto são qualificados e ingressam no mercado de trabalho. A MP amplia também o prazo máximo da aprendizagem de dois para três anos e cria incentivos para que as empresas efetivem os aprendizes em contratos de trabalho por tempo indeterminado após a conclusão do programa de aprendizagem.

Leia Também:  FOCO HOMENAGEM- Orlando Drummond.

Fonte: ascom Ministerio do trabalho e previdência

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA