BRASÍLIA

INTERNACIONAL

FOCO INTERNACIONAL – SOCIEDADE DOS DIPLOMATAS NO BRASIL – SDB – RETORNA AS SUAS ATIVIDADES COMO FACILITADORA PARA EMBAIXADAS, DIPLOMATAS E FAMILIARES.

Publicados

SEM CATEGORIA

O advogado e Procurador Federal, Francisco Chiaratto, reuniu nesta última sexta-feira, 15 de julho, vários especialistas das áreas de Serviços, Produtos como: Engenharia, Arquitetura, Agência de Viagens, Saúde, Eventos, Associações Comerciais, além de embaixadores e investidores.

O encontro foi realizado na QL 06 do Lago Sul e deu o ponta pé inicial para a retomada de um trabalho que já era desenvolvido desde 2015 e que esteve inoperante no período da pandemia; mas agora, após apelos para atender as demandas de Embaixadas e às famílias dos diplomatas, volta como a Entidade “Sociedade dos Diplomatas no Brasil – SDB”, com mais soluções e serviços.

A SDB é presidida pelo Dr. Francisco Chiaratto e conta também com um Controller, o Administrador de Empresas Sandro Muniz, CEO da empresa PW Consultoria e com um Conselho Superior formado por cinco Embaixadores.

Foto: Cleidsom Santos

 

Dr. Francisco Chiaratto se apresentou e agradeceu a presença de todos, falou que atua na AGU há mais de 25 anos e tratou nesse tempo, principalmente de acordos bilaterais e direito internacional público/privado.

Logo depois explanou sobre a retomada dos trabalhos da SDB, “Sociedade dos Diplomatas no Brasil”, cujo objetivo é atender prioritariamente as Embaixadas, Diplomatas e seus familiares, além de todo o corpo diplomático.

Explicou que muitos embaixadores, após o credenciamento formal pelo Ministério das Relações Exteriores, são encaminhados para Embaixadas já construídas localizadas no Setor de Embaixadas Sul e Norte ou para casas alugadas, estas em grande maioria no Lago Sul, em Brasília.

Disse ainda que a SDB, conta com uma equipe multiprofissional, atuando na locação de imóveis, planos de saúde e odontológica; seguro bancário com fiança locatícia e de outras necessidades elencadas por embaixadores.

Estes serviços foram intermediados pela SDB de 2014 até 2020, antes da pandemia. Neste momento, alguns Embaixadores solicitaram a retomada dos serviços da Entidade que já em 1º de agosto de 2022 iniciará suas atividades, localizada na QL6 do Lago Sul, e que oferecerão os  serviços nas áreas de: Saúde, Manutenção Predial, Segurança (citou casos em que embaixadores foram assaltados ao saírem das embaixadas); Engenharia e Arquitetura (citou que já existe a solicitação de alguns embaixadores para novas construções); curso de idiomas (citou os pedidos de professores de português, inglês e outros); seguros (pessoal, residência, veículos e obras de arte); locação e compra de veículos, entre outros.

A SDB então credenciará três empresas de cada setor e estas deverão assinar contratos de parceria e confidencialidade.

Ainda, neste contexto de prestação de serviços, a SDB irá fomentar a área de Comércio Exterior, a qual já tinha um histórico de auxílio. Agora os embaixadores poderão contar com especialistas da área e também para investimentos bancários e operações de câmbio. Para isso, a SDB contará com a parceira de bancos privados.

Tiveram apartes alguns representantes de empresas que apresentaram seus serviços as embaixadas, sobre as áreas médicas, hospitalares e odontológicas, utilizando sistema de ”adesão” e também sobre aperfeiçoar o atendimento dentro das embaixadas, que foi muito solicitado durante a pandemia.

Foto: Cleidsom Santos

Júlio César, advogado especialista em Comércio Exterior, sediado em Goiânia GO, falou em nome da sua equipe presente que há algum tempo já vem planejando fazer a estruturação nacional e internacional para as embaixadas, principalmente sobre as comodities.

Hoje estão trazendo grandes parceiros para a oferta de compra e venda de produtos do Agro Negócio, juntamente com a logística e todo o trabalho da exportação e importação.

Já existem algumas demandas que vão desde a soja ao amendoim com casca, além do “Boi em pé” e dos famosos “pés de galinha”, que são muito utilizados para fabricação de ração pet.

O economista Ciro de Avelar, sócio responsável da GWX, um dos escritórios mais antigos da XP Investimentos de Brasília, falou sobre os serviços que apresentarão às embaixadas nas áreas de investimento em gestão patrimonial e riscos – hoje existe uma grande procura por criptoativos, também em seguros e câmbios, evidenciando que o escritório possui diferenciais na busca das melhores soluções em investimentos, com um trabalho personalizado e com muita segurança.

 

Foto: Cleidsom Santos

O presidente da Associação Comercial do Distrito Federal e da Câmara e Comércio Brasil-Portugal Centro Oeste, Fernando Pedro de Brites, falou sobre os vínculos fortes com o sistema de cooperativas no Brasil.

Mostrou dados da produção agropecuária e do turismo em cada região do Brasil com a porcentagem de representação de cada um. Esses dados, segundo Fernando, poucos conhecem.

Leia Também:  PROANIMA comemora!

Também falou dos avanços agrícolas e da logística de escoamento da produção agropecuária pelos portos do Brasil e dos números da exportação para cada país pelos meios de transportes das malhas rodoviária, ferroviária e hidroviária que necessitam de melhorias para um desempenho melhor nas operações de exportação e importação.

Fernando Brites enfatizou a incoerência de algumas produções escoarem para portos do Sul do Brasil em vez de ir para os portos do Norte, que neste caso poderia representar uma economia de até 9 mil quilômetros dependendo de onde o produto sai. Anunciou a construção do Porto de Alcantara, no Maranhão, que será o maior e mais importante porto do arco norte do Brasil pois a estrutura do porto poderá receber navios de 5ª geração, estes preparados para o canal do Panamá por possuírem 400 metros de comprimento por 63 metros de largura, sendo os mais econômicos do mundo.

Por fim, falou sobre o custo ambiental dos modais de transporte, em que o rodoviário é 14 vezes maior que o hidroviário e sobre o acordo com o porto de Sines, em Portugal, e as possíveis mudanças nas rotas de entrega.

Foto: Cleidsom Santos

Em seguida, o arquiteto Francisco Leite Aviani da Atual Arquitetura e Design, acompanhado do Engenheiro Fabiano Cavalcante da ARCH2 Arquitetura e Design, de Brasília, apresentou os serviços que prestarão nas áreas de arquitetura e engenharia aos embaixadores.

Falou sobre o princípio de que devem respeitar a diversidade cultural de cada país, como exemplo, as cores que são interpretadas de formas bem diferentes ao redor do mundo. Branco, no Brasil, representa a paz, mas em alguns países representa a morte e o luto, assim como estruturas arquitetônicas que são típicas de cada país. O trabalho de arquitetura e engenharia precisa de um olhar especial para cada uma das 140 embaixadas que estão sediadas no Brasil.

Foto: Cleidsom Santos

Segundo o CEO da PW Consultoria, também Controller da SDB, “essa é uma iniciativa fantástica”. Estamos abrindo hoje, portas de soluções e serviços para 132 embaixadas ativas, que já são cadastradas. Nós temos cinco embaixadores no Conselho Superior, portanto não é uma ideia solta, é um projeto acreditado pelas embaixadas.

Temos também os prestadores de serviços negócios e produtos, que apostam em um público segmentado e no comércio exterior.

Atuaremos como facilitadores no convívio e nos negócios com os países representados por suas embaixadas, desde a necessidade de um curso de línguas até a saúde dos diplomatas; também na área social, estamos selecionando clubes que não imponham a necessidade da compra de ações, “pois quando vão embora, tem dificuldades para vender”, ou seja, fica muito dispendioso para o diplomata. Eu gosto de pensar que somos resolvedores de problemas. (Sandro Muniz- Controller da SDB).

Foto: Cleidsom Santos

Por fim, o Ministro Conselheiro da República Dominicana pediu a palavra para reforçar que o conhecimento das diferenças individuais e coletivas é fundamental para se desenhar os serviços a serem prestados às embaixadas e seus servidores. Contou que é casado com brasileira e tem filhos no Brasil, desta maneira acredita poder falar sobre essas necessidades especiais.

Apontou algumas experiências pessoais como alto preço de passagens e sobre consulta dos funcionários para adquirir carros no Brasil, dando a sugestão aos bancos parceiros da SDB, o financiamento destes.

E para o final, falou sobre o processo de construção da estrutura da Embaixada Dominicana no Brasil em que o arquiteto contratado foi primeiramente à República Dominicana para conhecer a arquitetura dominicana colonial e só depois realizar o projeto.

São detalhes importantes que devem ser levados em consideração, principalmente em um país que é o terceiro no mundo com mais representações internacionais.”, disse o Ministro.

Em seguida, os convidados foram recepcionados em um belíssimo coquetel.

Foto: Cleidsom Santos

 

 

Foto: Cleidsom Santos

“Francisco Chiriatto, Procurador Federal. Tem 4 Condes em Brasília e eu e minha esposa somos Conde e Condessa, desde 2019. Hoje é uma satisfação porque nós estamos, depois de 2 anos paralisados por causa da Pandemia, implantando as atividades da Sociedade dos Diplomatas do Brasil. Nós fizemos uma exposição dos trabalhos que nós vamos desenvolver, mas recapitulando, nós prestaremos 22 tipos de serviços diferentes às embaixadas. Prestaremos também serviços de comércio exterior. Hoje já estamos disponíveis com mais de 20 comodities para atender, e estamos também aperfeiçoando a parte de investimento e câmbio. Nossas atividades serão retomadas no dia 1º de agosto, deste ano, e já estamos fazendo todos os comunicados às embaixadas do reinicio de nossos trabalhos. Muito obrigado e peço a Deus que nos ilumine e nos oriente. Obrigado a todos que nos tem apoiado e nós vamos continuar pedindo esse apoio para que os nossos trabalhos sejam efetivamente realizados em prol dos embaixadores e familiares, e todo o corpo diplomático.” (Francisco Chiaratto – Presidente da SDB e Procurador Federal da AGU).

 

Foto: Cleidsom Santos

“Sou Francisco Leite Aviani, arquiteto e estamos aqui, hoje, nessa reunião do SDB, empenhados em dinamizar a área de arquitetura e engenharia junto às essas representações diplomáticas que são praticamente 150, ou mais ou um pouco menos, em Brasília, e a primeira preocupação nossa, tanto da parte de engenharia e arquitetura é que muitas vezes essa área envolve diretamente os participantes e as pessoas.

São áreas que podem contribuir muito para a melhoria do bem estar dessas pessoas, principalmente se tratando do corpo diplomático, aonde cada país tem uma natureza diferente, alguns países com naturezas parecidas e outros muito diferentes, esses quase que invertidas as coisas e com conceitos no que tange a arquitetura, por exemplo, que são vistos com o ponto de vista totalmente diferente. Ainda pouco estávamos conversando sobre cores, nas quais, cada país com suas variabilidades culturais, interpretam as cores de maneira diferentes, o vermelho nem sempre é a cor do amor em todo o mundo, e o branco nem sempre é a cor da paz e por incrível que pareça, em alguns países, essas cores tem significado oposto, contrário ao que é em relação ao Brasil.

Então cabe aos profissionais da nossa área de engenharia e arquitetura ter uma preocupação extra e se capacitarem também para poder atender essa variabilidade. Nós temos para isso uma relação na literatura de estudos interculturais já desenvolvidos. Esses conceitos já existem há algum tempo e por em prática, alguns desses conceitos, entendemos que além do ponto de vista comercial e empresarial que são parceiras do SDB, existe esse lado cultural que, tenho convicção, que deverá deixar o nosso trabalho muito mais interessante e prazeroso. (Francisco Leite Aviani – Arquiteto da Atual Arquitetura e Design.”

 

Foto: Cleidsom Santos

“Esta sociedade criada e presidida pelo Dr. Francisco Chiaratto é da maior importância, e nós viemos nesta reunião para nos associarmos a esta proposta que visa trabalhar com o corpo diplomático e levar para o exterior os 44.6% de toda a produção agrícola aqui do Centro Oeste, que hoje, tem um sistema modal desatualizado, que foi criado nos anos 40 e nos anos 50 quando a produção estava concentrada no Sul e Sudeste, e que hoje não faz mais sentido; a nossa proposta é levar as comodities para Norte e Nordeste, e de lá numa diagonal, entrega-las quando forem para a Europa, em Portugal, no Sul de Portugal, e pelo Estreito de Gibraltar nós alcançarmos os países da Europa pelo Mediterrâneo de baixo para cima. E não mais de cima para baixo como se faz hoje, que primeiro nós descemos a Santos ou Porto de Paranaguá e depois subimos para Roterdã ou qualquer outro porto do norte da Europa para depois descer outra vez.

Na nossa proposta, nós economizamos em média 6 mil quilômetros, podendo chegar até 9 mil quilômetros, uma economia de transporte que não é pouca, é muita. Essa economia do transporte pode ser revertida para o produtor. Hoje o Basil coloca comodities no exterior por um preço alto e consegue vender alto porque tem poucos produtores concorrendo no Brasil. Se os Estados Unidos tivessem condição de abastecer o mundo, o Brasil não teria preço para competir com os Estados Unidos, porque lá não tem “perda”, nos Estados Unidos tudo é racional e nós estamos num sistema totalmente irracional.

Então a proposta que o Francisco Chiaratto nos coloca aqui, e as pessoas todas que se pronunciaram, nos levam a crer que nós estamos em um bom caminho. Nós temos aqui 140 embaixadas que precisam saber o que se passa aqui no Centro Oeste, o que se passa hoje na Bahia. Em termos agrícolas, na Bahia, no Tocantins, Piauí e também no Maranhão. E quando a gente convencer essas embaixadas que devem comercializar aqui e não mais no Sudeste e São Paulo eventualmente, até por se tratar de produto agrícola, na FIESP em São Paulo – a FIESPE é uma entidade ligada a indústria. Por que então a FIESPE negocia agronegócio? É uma falha nossa e nós precisamos corrigir isso.” (Fernando Pedro de Brites – Presidente da Associação Comercial do DF e da Câmara e Comércio Brasil-Portugal Centro Oeste).

Leia Também:  FOCO NA SOLIDARIEDADE - DUDU NOEL BRASÍLIA E AS AÇÕES DE FIM DE ANO !

Galeria de fotos do Evento –

 

Fotos:  Cleidsom Santos

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

FOCO NA LITERATURA

FOCO NA LITERATURA COM GUSTAVO DOURADO – V Congresso Internacional de Letras

Publicados

em

http://conilufma.com.br/programacao/programacao-simposios/

 

“TANTO RIS(C)O, Ó QUANTA ARTESANIA, MAIS DE MIL LAÇOS NA CRIAÇÃO, O SIGNIFICANTE ESTÁ CHORANDO PELO LABOR DE ENIGMA… NO MEIO DA MULTIDÃO” Responsáveis: Adail Ubirajara Sobral / Márcia Cristina Maesso / Roberto Medina

GEOPOESIA DO CORDEL CENTROESTINO: tanto riso, tanto verso, tanta impressão.

Gláucia Mendes da Silva Sheila Gualberto Borges Pedrosa

Pesquisa científica realizada pelas alunas de Doutorado: Sheila Gualberto e Gláucia Mendes sobre a correlação Bakhitianiana entre o riso, o verso e as impressões encontradas na literatura de Cordel de Gustavo Dourado e Paulo Nunes Batista.
Doutorado da Universidade Federal de Uberlândia e Mestrado da Universidade do Estado do Goiás.
O Congresso será na Universidade Federal do Maranhão.

 

 

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Foco especial! Live - Faça Seu Portfólio Profissional.
Continue lendo

FOCO NAS NOTÍCIAS

FOCO ATUALIDADES

FOCO CIDADES

EMPREENDEDORISMO

CULTURA E EVENTOS

SAÚDE E BEM ESTAR

MAIS LIDAS DA SEMANA